Em meio à polêmica sobre as bênçãos a casais homossexuais, cardeal Farrell diz que ninguém é excluído do amor da Igreja

Revista ihu on-line

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mais Lidos

  • A guerra de Putin e Kirill. "O pluralismo religioso nunca foi um problema para a democracia, mas hoje o pluralismo ético moral o é para as democracias. Entrevista com José V. Casanova

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


19 Março 2021

 

O cardeal Kevin Farrell, líder da pasta do Vaticano para a família, falou na quinta-feira que ninguém pode ser excluído do cuidado pastoral e do amor da Igreja, mesmo se a Igreja não pode abençoar suas uniões.

A reportagem é de Inés San Martín, publicada por Crux, 18-03-2021. A tradução é de Wagner Fernandes de Azevedo.

“Às vezes não conseguimos entender uma distinção que deve ser feita: quando a Igreja fala de casamento, [ela] fala de casamento sacramental, não de uniões civis ou outras formas de casamento”, disse Farrell a jornalistas, durante uma entrevista coletiva na quinta-feira.

Farrell falava em uma coletiva de imprensa via Zoom inaugurando o “Ano da Família Amoris Laetitia”, que começará em 19 de março, o quinto aniversário da publicação da exortação apostólica do Papa Francisco.

O prelado foi especificamente convidado a comentar o documento recentemente divulgado pela Congregação para a Doutrina da Fé, reafirmando a posição da Igreja contra a bênção de casais homossexuais. Publicado na segunda-feira, o documento foi assinado pelo cardeal espanhol Luis Ladaria, com o consentimento explícito do Papa Francisco.

Durante a entrevista coletiva de quinta-feira, Farrell reconheceu que, embora a exortação Amoris Laetitia fale sobre o casamento sacramental, isso não significa “que apenas os casados na Igreja recebem os benefícios do cuidado pastoral da Igreja”.

“Existem muitas situações diferentes no mundo de hoje”, disse ele, acrescentando que cada paróquia do mundo é chamada a acompanhar a todos, inclusive as pessoas que não podem ter uma participação plena na vida da Igreja. Isso se aplica não apenas a casais homossexuais, mas também a católicos civilmente divorciados e recasados e a casais que coabitam sem serem casados.

“Acho que é muito importante que todos entendamos que a vida pastoral da Igreja está aberta a todas as pessoas”, disse Farrell. “É essencial e muito importante que sempre abramos nossos corações para receber e acompanhar todas as pessoas em todas as fases da vida e em suas diferentes situações de vida”.

“A distinção que fiz entre casamento civil e sacramental é muito importante quando você fala sobre a bênção do casamento”, disse ele. “A bênção é sacramental e está relacionada com o sacramento do matrimônio. Portanto, pode ser difícil de entender, mas eu insisto e gostaria muito que todos entendessem que estamos abertos para acompanhar todas as pessoas”.

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Em meio à polêmica sobre as bênçãos a casais homossexuais, cardeal Farrell diz que ninguém é excluído do amor da Igreja - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV