75% dos incêndios florestais são provocados por ações humanas

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • Mudanças climáticas: uma oportunidade para a teologia se libertar do passado. Artigo de Bruno Latour

    LER MAIS
  • O extermínio na hora do almoço. Artigo de Corrado Augias

    LER MAIS
  • Pedofilia, relatório sobre a diocese de Ratzinger: 497 vítimas. O Papa Emérito é acusado de negligência em 4 casos. Santa Sé: “Vergonha”

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


04 Setembro 2020

Estudo do BCG em parceria com a WWF também revela aumento de 13% nos incêndios florestais em todo o mundo e avalia os impactos em diferentes biomas.

A reportagem é de Fabiana Andrade, publicada por EcoDebate, 03-09-2020.

As ações humanas são responsáveis por 75% dos incêndios florestais em todo o mundo, essa é uma das principais conclusões do estudo realizado pelo Boston Consulting Group (BCG) em parceria com a organização ambiental WWF.

Com um número recorde em 2019, os índices apresentam um crescimento de 13% nos alertas de incêndios florestais este ano. Além disso, o relatório ressalta que, de forma geral, as queimadas são maiores e mais intensas do que costumavam ser.

O crescimento de incêndios florestais com mais intensidade resulta em uma maior emissão de toneladas de carbono. Isso provoca danos significativos à biodiversidade, aos ecossistemas, e gera consequências na economia e nas pessoas ao ameaçar propriedades e meios de subsistência, além de causar graves problemas de saúde a longo prazo. De acordo com o estudo, cerca de 340 mil mortes são provocadas anualmente por problemas respiratórios e cardiovasculares atribuídos à fumaça de incêndios florestais.

O estudo também ressalta dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) sobre a Amazônia: nos primeiros meses de 2020, o índice de desmatamento na região chegou a 307 mil hectares, 26% a mais em comparação com o mesmo período em 2019. O número de incêndios também cresceu e atingiu o índice mais alto em 13 anos. Apenas no mês de julho, 6803 incêndios foram registrados na Amazônia. O número representa um crescimento de 28% em relação ao último ano.

Para o BCG, é fundamental alinhar os esforços dos setores público e privado para responder às questões ligadas ao desmatamento. Uma das medidas mais eficazes é definir e implementar compromissos que tenham o objetivo de reduzir a pegada da empresa no meio ambiente. Mas todos têm um papel a ser desempenhado nesta batalha contra as mudanças climáticas. Indivíduos podem também provocar impactos significativos no meio ambiente ao tomar precauções simples para evitar incêndios e fazer escolhas de consumo mais sustentáveis, por exemplo. Ao ter mais consciência sobre pequenos e grandes impactos de escolhas no ecossistema, todos podem se tornar parte da solução.

O estudo “Fire, Forests and the Future: a crisis raging out of control?” pode ser acessado na íntegra aqui.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

75% dos incêndios florestais são provocados por ações humanas - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV