Mais um resultado desses nas pesquisas e... pipoca pra todo mundo! Artigo de Edelberto Behs

Mais Lidos

  • Varsóvia e Gaza: 80 anos depois, dois guetos e o mesmo nazismo... e a mídia finge não ver o Terror de Estado de Netanyahu. Artigo de Luiz Cláudio Cunha

    LER MAIS
  • A 'facisfera' católica: jovens sacerdotes ultraconservadores que rezam no YouTube pela morte do Papa Francisco

    LER MAIS
  • Garimpo e barbárie: uma história de genocídio e de luta dos Yanomami. Artigo de Gabriel Vilardi

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

24 Setembro 2022

 

"Por isso Bolsonaro prefere o 'DataPovo'. Afinal, dá para manipular. 'Pelas minhas andanças pelo Brasil, em especial nos últimos dois meses – proclamou –, se nós não ganharmos no primeiro turno, algo de anormal aconteceu dentro do TSE'", escreve Edelberto Behs, jornalista.

 

Eis o artigo.

 

Após a divulgação da pesquisa do IPEC, na segunda-feira, 19, indicando 47% das intenções de voto ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e 31% a Jair Bolsonaro, o ministro das Comunicações, Fábio Faria, sugeriu o fechamento do instituto. No dia 2 de outubro, disse, a população vai cobrar o fechamento do IPEC. “Chega desses absurdos com pesquisas eleitorais!”, prognosticou.

 

Embora a turma bolsonarista e o próprio presidente da República debochem do resultado de pesquisas, a campanha de Bolsonaro investe em pesquisas, tanto assim que é o terceiro item que mais consome seu orçamento na corrida eleitoral, com 17%, informa o repórter Guilherme Caetano, de O Globo. “É, de longe, o candidato que mais gasta com pesquisas eleitorais, de acordo com dados da plataforma Divulga Cand, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).”

 

O pastor Silvas Malafaia, do caminhão de onde Bolsonaro discursou no Rio, definiu o evento como a “maior manifestação da história do Brasil”. Sem qualquer base de cálculo, disse que havia 1 milhão de pessoas no ato do dia 7 de setembro em Brasília.

 

Pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) analisaram 22 fotografias aéreas do encontro de Brasília e, com o processamento de software que identifica as cabeças de pessoas em determinada área para estimar o público total, concluíram que o ato reunira em torno de 64 mil pessoas.

 

Por isso Bolsonaro prefere o “DataPovo”. Afinal, dá para manipular. “Pelas minhas andanças pelo Brasil, em especial nos últimos dois meses – proclamou –, se nós não ganharmos no primeiro turno, algo de anormal aconteceu dentro do TSE”.

 

Não só no TSE, presidente, também no DataFolha, Ipec, e outros institutos que lhe colocam em segundo lugar no primeiro turno.

 

Assim, mais uma pesquisa indicando a possibilidade de vitória do candidato Luiz Inácio Lula da Silva à presidência da República ainda no primeiro turno o Brasil entrará em festa. Não, não será festa exclusiva de petistas, não. Poderá vir mais um pacote de bondades para brasileiros e brasileiras. Festa pra galera, geral.

 

O ingresso nos estádios de futebol será liberado e cobrada apenas meia entrada nas sessões de cinema, com direito à pacote de pipoca de graça. Também nas carrocinhas de rua a pipoca será distribuída gratuitamente para crianças. O ingresso em circos, parques de diversão, rodas gigantes, zoológicos, autódromos... tudo liberado!

 

Farmácias vão distribuir gratuitamente pílulas anticoncepcionais e camisinhas. O pão d’água será de graça pro povo, com direito a um pote de margarina e uma peça de linguiça de carne de porco. Famílias com renda de até dois salários mínimos terão direito a latas de leite condensado.

 

A venda de livros não sofrerá alteração. Afinal de contas, não trazem mais do que um amontoado de palavras sem significação. Mas o jet-ski, que já sofreu baixa no imposto, vai ter mais uma redução.

 

O Viagra, comprado em grande escala para as Forças Armadas, será distribuído gratuitamente a pessoas com mais de 65 anos de idade. Isso para que todo brasileiro se sinta “imbrochável”.

 

Praças de pedágio abrirão suas cancelas: passagem gratuita. A gasolina terá mais uma queda de preço na bomba, podendo chegar a 2 reais o litro. Contas de telefone serão zeradas.

 

Mas isso tudo no máximo até 30 de outubro! Aproveitem, galera, as benesses cobertas por recursos do orçamento secreto. Embora saia do bolso do contribuinte, valerá a pena! Talquei!?

 

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Mais um resultado desses nas pesquisas e... pipoca pra todo mundo! Artigo de Edelberto Behs - Instituto Humanitas Unisinos - IHU