“Nós, cristãos LGBT, em 110 com o Papa”

Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Mais Lidos

  • Lula manda carta a Francisco e mostra seu temor pelo “risco” do segundo turno nas eleições

    LER MAIS
  • A curta vida do Homo sapiens

    LER MAIS
  • A paciência do papa idoso é posta à prova

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


23 Setembro 2022

 

Quando os funcionários do Vaticano ao final da audiência se viram diante daquele pelotão sorridente de 110 homens e mulheres, camiseta com coração arco-íris e a frase "No amor não há medo" (1 Jo 4,18), houve um momento de confusão. Depois, tendo verificado que o grupo de cristãos LGBT pertencentes à associação “La Tenda di Gionata” estava entre os admitidos aos cumprimentos, tudo se resolveu.

 

A reportagem é de Luciano Moia, publicada por Avvenire, 22-09-2022. A tradução é de Luisa Rabolini.

 

No final, subiram dom Gianluca Carrega, professor de teologia bíblica e responsável pela pastoral das pessoas LGBT na arquidiocese de Turim e Francesca, uma jovem lésbica de Módena, ontem em Roma com sua companheira Carola, que mora em Mântua. Poucas horas depois do encontro com o Papa, a emoção das duas jovens ainda estava nas nuvens. Francesca entregou a Francisco uma pasta com muitas cartas de pais com filhos LGBT, mães e pais crentes que se viram diante de situações para as quais não estavam preparados em nível pessoal e familiar, além de terem que suportar em muitos casos o isolamento e a desconfiança dentro da comunidade cristã.

 

Felizmente hoje, graças ao Papa Francisco, às suas reflexões sobre o tema e, sobretudo, à Amoris laetitia, a situação está mudando em quase todos os lugares. Isso é testemunhado justamente por Francesca e Carola, cristãs engajadas em uma paróquia da arquidiocese de Modena-Nonantola, onde “nos apresentamos como um casal, sem ostentar nada, mas também sem esconder. Nosso grupo se chama Venham e Vejam e é liderado por dois sacerdotes extraordinários que contam com o total apoio de nosso arcebispo, Dom Erio Castellucci. Estamos realizando um percurso importante. Eu queria explicar isso ao papa, mas não havia tempo. Só lhe disse o quanto o amamos”.

 

Alguns minutos a mais foram concedidos a Dom Carrega que pediu ao Papa que continuasse a sua obra visando a construção de uma Igreja hospitaleira que não exclua ninguém. E a resposta dele? "Ele sorriu para mim e assentiu." O Papa também recebeu dois livros de depoimentos, Genitori fortunati (org. pela Tenda di Gionata, Effatà Editrice) e Figli di um Dio minore? (de Luciano Moia, Edizioni San Paolo).

 

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

“Nós, cristãos LGBT, em 110 com o Papa” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV