“Abandonado, mesmo por nós”. Papa recorda sem-teto nigeriano morto pelo frio a poucos metros da Praça São Pedro

Mais Lidos

  • Influenciadores ou evangelizadores digitais católicos? Artigo de Dom Joaquim Mol

    LER MAIS
  • Para onde estamos indo? Artigo de Leonardo Boff

    LER MAIS
  • Os equilíbrios de Lula no Brasil pós-Bolsonaro. Artigo de Bernardo Gutiérrez

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

26 Janeiro 2021

Depois da oração do Angelus, o Papa recordou do sem-teto Edwin, que morreu de frio nas proximidades do Vaticano poucos dias atrás.

A reportagem é de Jane Nogara, publicada por Vatican News, 26-01-2021.

Depois da oração do Angelus neste Domingo da Palavra de Deus o Papa Francisco recordou a morte de um sem-teto, nas proximidades do Vaticano.

Ouça e compartilhe!

O Papa disse:

“No dia 20 de janeiro passado, um nigeriano de 46 anos, sem teto, chamado Edwin, foi encontrado morto pelo frio a poucos metros da Praça São Pedro. Sua história se junta à de muitos outros desabrigados que morreram recentemente em Roma, nas mesmas circunstâncias dramáticas. Rezemos por Edwin. Lembremo-nos das palavras de São Gregório Magno, que quando confrontado com a morte de um mendigo por causa do frio, disse que nenhuma missa seria celebrada naquele dia porque era como a Sexta-feira Santa. Pensemos em Edwin. Pensemos no que este homem sentiu, 46 anos de idade ao frio, ignorado por todos. Abandonado, mesmo por nós. Rezemos por ele”. 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

“Abandonado, mesmo por nós”. Papa recorda sem-teto nigeriano morto pelo frio a poucos metros da Praça São Pedro - Instituto Humanitas Unisinos - IHU