Coronavírus, concerto de Andrea Bocelli no Duomo de Milão deserto: “Uma oração com milhões de vozes”

Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Mais Lidos

  • O Papa Franciso, mais uma vez, surpreende. Artigo de Eduardo Hoornaert

    LER MAIS
  • Movimentos no pós-pandemia. Artigo de Raúl Zibechi

    LER MAIS
  • “Não podemos mais ignorar o debate sobre a redução da jornada de trabalho porque funciona para muitas empresas”. Entrevista com Pedro Gomes

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


15 Abril 2020

O concerto do tenor, ouvido por 2,7 milhões de espectadores ao vivo no Youtube, terminou com as notas de Amazing Grace, a única música cantada do lado de fora.

A reportagem é publicada por La Repubblica, 13-04-2020. A tradução é de Luísa Rabolini.

Um abraço coletivo a todas as grandes capitais do mundo em confinamento pelo Coronavírus foi aquele que veio do Duomo de Milão através da voz de Andrea Bocelli. O concerto do tenor, ouvido no final por 2,7 milhões de espectadores ao vivo no Youtube, terminou com as notas de Amazing Grace, a única música cantada do lado de fora, com a solitária e majestosa catedral ao fundo. E nas 15 horas sucessivas, quase 25 milhões de visualizações.

A mensagem de esperança das palavras da música ("Através de muitos perigos, labutas e armadilhas/ Eu já vim / Essa graça que me trouxe, assim me salvou / E a graça vai me levar para casa") é acompanhada por imagens das ruas desertas de Paris, Londres e Nova York, algumas das capitais mais atingidas pela covid-19.

"Acredito na força para orar juntos e na Páscoa cristã, um símbolo de um renascimento que todos, pessoas de fé e não, agora precisamos. A generosa, corajosa e proativa Milão e a Itália toda serão novamente, muito em breve, um modelo vencedor, motor de um Renascimento que todos almejamos", disse o artista em uma mensagem também traduzida para o inglês.

A performance, promovida pela cidade de Milão e pela Veneranda Fabbrica del Duomo, foi produzida e organizada pela Sugar Music e Universal Music. Cinco faixas da programação: Panis Angelicus (César Franck) Ave Maria (Johann Sebastian Bach - Charles Gounod), Sancta Maria (Pietro Mascagni), Domine Deus (Gioacchino Rossini) e Amazing grace (John Newton).

"Guardarei a emoção desta experiência inédita e profunda, dessa Santa Páscoa que a emergência tornou dolorosa, mas, ao mesmo tempo, ainda mais fecunda, entre as lembranças mais importante para mim". Estas são as palavras do cantor no final do concerto.

"Essa sensação de estar ao mesmo tempo sozinho, como todos nós estamos, na presença do Altíssimo - disse Bocelli - e ainda expressar a voz da oração de milhões de vozes, me marcou profundamente e comoveu. O amor é um dom. Fazê-lo fluir é o principal objetivo da própria vida. E com a vida, mais uma vez, estou em dívida. Minha gratidão é para aqueles que conceberam essa oportunidade, o município de Milão e o Duomo, e para todos aqueles que aceitaram o convite e se juntaram em um abraço planetário, reunindo aquela bênção do Céu que nos restitui coragem, confiança, otimismo, na certeza da fé".

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Coronavírus, concerto de Andrea Bocelli no Duomo de Milão deserto: “Uma oração com milhões de vozes” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV