Nota de Solidariedade aos Padres Dennis Koltz e Sisto Magro. Nota da Comissão Brasileira Justiça e Paz

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


05 Março 2020

"A CBJP e o Observatório Político instam que as autoridades apurem com rapidez as agressões sofridas pelos religiosos e tomem as providências legais sobre o ocorrido para que a impunidade não venha favorecer outros atentados contra a vida dos missionários", manifestou-se a Comissão Brasileira Justiça e Paz (CBJP) em nota.

Eis a nota.

Religiosos do Pontifício Instituto de Missões Exteriores – PIME
Agentes Pastorais da Comissão Pastoral da Terra e da Diocese de Macapá/AP

A Comissão Brasileira Justiça e Paz – CBJP e seu Observatório Político, manifestam sua solidariedade aos padres missionários Dennis Koltz, administrador paroquial de São Joaquim do Pacuí, e Sisto Magro, coordenador da Comissão Pastoral da Terra da Diocese de Macapá, pelas graves ameaças e agressões sofridas no último dia 25 de fevereiro, em função de seus trabalhos pastorais em favor dos pobres, excluídos e famílias do interior do Estado do Amapá, vítimas de esbulho, invasão de suas terras, desrespeitos e usurpação dos bens comuns oferecidos pela Natureza.

A CBJP e o Observatório Político instam que as autoridades apurem com rapidez as agressões sofridas pelos religiosos e tomem as providências legais sobre o ocorrido para que a impunidade não venha favorecer outros atentados contra a vida dos missionários.

No momento em que se inicia a Campanha da Fraternidade, promovida pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, cujo tema é “Fraternidade e Vida: Dom e Compromisso”, a Igreja conclama a sociedade civil, o Povo de Deus e pessoas de boa vontade, à observância do cuidado com os mais necessitados e o firme posicionamento a favor da justiça, sem a qual não há paz.

É inadmissível que missionários, agentes públicos e população em geral sejam agredidos no serviço a favor da vida, dos mais pobres e da natureza.

O respeito à vida e ao cuidado com os menos favorecidos deve nortear a todos que pretendem uma sociedade justa, em que a dignidade humana fale mais alto.

Brasília, 1 de março de 2020
Secretaria Executiva
Comissão Brasileira Justiça e Paz

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Nota de Solidariedade aos Padres Dennis Koltz e Sisto Magro. Nota da Comissão Brasileira Justiça e Paz - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV