Pai do menino sírio afogado diz que chorou ao ver charge no 'Charlie Hebdo'

Revista ihu on-line

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mais Lidos

  • Diante do nacionalismo da Grande Rússia, vamos reinventar o internacionalismo. Artigo de Pierre Dardot e Christian Laval

    LER MAIS
  • “Receber dinheiro para evangelizar de quem gera morte é contraditório”. Entrevista com Dom José Ionilton Lisboa de Oliveira

    LER MAIS
  • “Fratelli Tutti” coisa nenhuma. “Memorando” exorta que antes do conclave os cardeais releiam “Dominus Iesus”

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


18 Janeiro 2016

O pai do pequeno Aylan, que se tornou símbolo da tragédia dos refugiados sírios, disse neste sábado que chorou depois de ver a charge publicada pela revista satírica "Charlie Hebdo" nesta semana.

Charge questiona qual seria o futuro de Aylan

A reportagem foi publicada por AFP e reproduzida pelo Portal Uol, 17-01-2016.

"Quando vi a charge, chorei", disse Abdullah Kurdi em conversa por telefone com a agência de notícias AFP. "Minha família ainda está abalada", completou.

Em um comunicado, o pai de Aylan chamou o desenho de "desumano e imoral", afirmando que era "tão mau quanto as ações dos criminosos de guerra e terroristas" que causaram mortes e migrações em massa na Síria e em outros países.

Aylan, de 3 anos, morreu afogado na travessia do mar Egeu entre Turquia e Grécia. Sua imagem, morto na praia, rodou o mundo e provocou uma grande mobilização internacional pelos refugiados que tentam chegar à Europa.

O irmão de Aylan e sua mãe também morreram na tragédia.

Futuro 'apalpador de bundas'

Ocupando metade de uma página dupla do último número da revista, a charge assinada pelo editor Riss mostra um homem correndo atrás de uma mulher sob o seguinte título: "Migrantes: no que teria se transformado o pequeno Aylan se tivesse crescido?".

O próprio Riss responde, com a legenda "Apalpador de bundas na Alemanha" (tradução livre de "Tripoteur de fesses en Allemagne"), em uma referência às agressões sexuais registradas neste país europeu na noite de Ano Novo. Segundo as denúncias, a maioria dos suspeitos seria de refugiados.

A Alemanha foi o país europeu que acolheu o maior número de refugiados sírios até agora.

A charge deflagrou duras críticas e revolta nas redes sociais. Questionada pela AFP, em Paris, a revista não quis comentar a polêmica.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Pai do menino sírio afogado diz que chorou ao ver charge no 'Charlie Hebdo' - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV