“A dívida grega deve ser perdoada, como a da Alemanha em 1953”, afirma Noam Chomsky

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • A fantasia de Deus. Leonardo Boff e o Espírito Santo

    LER MAIS
  • A crise energética, a escolha europeia, e a “reviravolta russa”. Artigo de José Luís Fiori

    LER MAIS
  • As feridas cada vez mais abertas. As acusações da Unicef e da Oxfam

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Por: Jonas | 01 Julho 2015

“Em 1953, a Europa perdoou a maior parte da dívida da Alemanha para que fosse capaz de reconstruir os danos da guerra”, disse Chomsky à cadeia Euronews. O filósofo afirma que o partido de esquerda Syriza chegou ao poder na Grécia em meio a opiniões de que a Grécia não deveria mais se submeter a Bruxelas e às políticas dos bancos alemães, porque estas políticas estavam destruindo o país.

A reportagem é publicada por Rebelión, 30-06-2015. A tradução é do Cepat.

“Na realidade, o efeito destas políticas implicou no aumento da dívida da Grécia em relação a sua produção de riqueza. Provavelmente, metade dos jovens estão desempregados, provavelmente 40% dos gregos vivem abaixo da linha da pobreza, a Grécia está sendo destruída”, apontou Chomsky.


“Quem fez esta dívida? A dívida foi contraída, em parte, pelos ditadores. Sendo assim, na Grécia, a ditadura fascista, apoiada pelos Estados Unidos, foi a responsável por uma grande parte da dívida”, destacou o analista.

A Grécia deve à Troika de credores internacionais, que inclui o FMI, a União Europeia e o Banco Central Europeu, 316 bilhões de euros. Em fevereiro, as autoridades gregas e os ministros de Finanças da zona do euro concordaram em prolongar o resgate do país em quatro meses. Em virtude do acordo, a Grécia se comprometeu a aplicar uma série de reformas econômicas para reativar sua economia.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

“A dívida grega deve ser perdoada, como a da Alemanha em 1953”, afirma Noam Chomsky - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV