Adolfo Nicolás renunciará em 2016 como Superior Geral da Companhia de Jesus

Mais Lidos

  • As responsabilidades das Forças Armadas no golpe. Artigo de Jean Marc von der Weid

    LER MAIS
  • Terra Yanomami tem 363 mortes registradas no 1º ano do governo Lula

    LER MAIS
  • “Gostaria de mais casos de anulação de casamento. Ajuda a curar o sofrimento da separação”, afirma cardeal Zuppi

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

21 Mai 2014

O Padre Geral da Companhia de Jesus, Adolfo Nicolás Pachón, SJ, anunciou na manhã de ontem, dia 20 de maio, que apresentará o pedido de renúncia ao cargo. Assim, segundo ele mesmo anunciou, no final deste ano, convocará uma nova Congregação Geral da Companhia de Jesus que será realizada em 2016, durante a qual ele apresentará a sua renúncia e, se a Congregação aceitar, será eleito o seu sucessor.

Na carta a todos os jesuítas, que ele pessoalmente leu, ao meio-dia de ontem, na capela da Cúria Geral da Companhia de Jesus, em Roma, (veja o vídeo), o Padre Geral manifesta ter obtido a aprovação do Papa Francisco, com o qual tem mantido magnífica relação desde a sua eleição em 2013.

Na carta, o Superior Geral da Companhia, Adolfo Nicolás Pachón, manifesta que “já passaram vários anos desde minha eleição como Superior Geral da Companhia de Jesus e recentemente completei 78 anos de vida. Ao considerar os anos que se aproximam, cheguei à convicção pessoal de que teria que dar os passos para apresentar a minha renúncia à Congregação Geral”. E pede à Nossa Senhora da Estrada “que ponha a Companhia com Seu Filho neste itinerário de discernimento que agora iniciamos”.

A Congregação Geral é o órgão supremo do governo da Companhia de Jesus que somente é convocada para tratar de assuntos de especial importância ou para eleger um novo Superior Geral. Nela participam jesuítas do mundo todo eleitos pelos membros da ordem.

O cargo de Padre Geral da Companhia de Jesus é vitalício, mas as Constituições da ordem contemplam a possibilidade da renúncia ao mesmo. Em 2008, durante a última Congregação Geral, o Padre Peter-Hans Kolvenbach, depois de obter o consentimento do Papa Bento XVI, renunciou ao cargo. Naquele momento ele alegou a idade avançada (quase 80 anos) e a longa duração do seu governo, que durou quase 25 anos. Ele anunciara este seu desejo e a convocação de uma Congregação Geral foi feita três anos antes.

Nota da IHU On-Line: O Pe. Adolfo Nicolás leu pessoalmente a carta enviada na manhã de ontem para toda a Companhia de Jesus, após a oração comunitária, às 12h45min, realizada na capela da Cúria Geral, em Roma. Veja o vídeo, em italiano e legenda em inglês, clicando aqui.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Adolfo Nicolás renunciará em 2016 como Superior Geral da Companhia de Jesus - Instituto Humanitas Unisinos - IHU