TRF1 ordena que Norte Energia corrija problemas nas casas para os removidos por Belo Monte

Mais Lidos

  • “Com Francisco cumpre-se a profecia de Arrupe”. Entrevista com Pedro Miguel Lamet

    LER MAIS
  • Somos todos aspirantes a cristãos. Entrevista com Paolo Ricca

    LER MAIS
  • Wim Wenders, Dias Perfeitos – 2023. Artigo de Faustino Teixeira

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

10 Fevereiro 2014

O Tribunal Regional Federal da 1ª Região, em Brasília, atendendo a recurso do Ministério Público Federal (MPF), ordenou que a Norte Energia S.A promova a adequação das casas destinadas ao reassentamento coletivo urbano dos atingidos pela usina de Belo Monte na cidade de Altamira. Estão sendo removidos todos os que moram em áreas de Altamira abaixo da chamada cota 100 (100 metros acima do nível do mar), um número que pode ser de 16 mil a mais de 25 mil pessoas.

A reportagem foi publicada no portal EcoDebate, 07-01-2014.

Ao apresentar o programa de reassentamento em 2012 a empresa prometeu três opções de casa, com tamanhos variados de acordo com a família. Em 2013 informou sem discussão prévia com os atingidos que só haverá um tamanho de casa, de 63 metros quadrados. Em outubro do ano passado, após um laudo técnico, o MPF entrou com uma ação na Justiça Federal em Altamira pedindo que a Norte Energia cumprisse o prometido, mas a Justiça não concedeu liminar. O MPF recorreu ainda em 2013. Em janeiro de 2014, o reassentamento começou sem que os problemas apontados fossem corrigidos. Com a decisão do dia 29/01/2014, a Norte Energia está obrigada a resolvê-los.

Para a desembargadora federal Selene Almeida, do TRF1, responsável pela decisão, o MPF está correto ao afirmar que “a Norte Energia, ao apresentar publicamente a proposta de três modelos distintos de casa, vinculou-se ao ofertado, não podendo, unilateralmente, após anuência da população ao que lhe foi proposto, reformular a oferta”. O laudo técnico do MPF comprovou que, depois das mudanças promovidas pela Norte Energia, as casas para reassentamento passaram e ser irregulares de acordo com as obrigações previstas no Projeto Básico Ambiental de Belo Monte, documento que faz parte do licenciamento ambiental e deve ser cumprido pela empresa.

Se não cumprir a decisão, a Norte Energia foi condenada a pagar multa diária de R$ 20 mil por dia de descumprimento.

Processo judicial nº 0002464-06.2013.4.01.3903/TRF1

Íntegra da Decisão | Veja aqui todos os processos do caso Belo Monte

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

TRF1 ordena que Norte Energia corrija problemas nas casas para os removidos por Belo Monte - Instituto Humanitas Unisinos - IHU