Arcebispo de Nova York adverte: depois do casamento homossexual, pode vir a poligamia

Revista ihu on-line

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mais Lidos

  • A sombra tenebrosa do bolsonarismo. Artigo de Leonardo Boff

    LER MAIS
  • Uma contribuição para uma teologia do sacerdócio a partir da tradição afonsina

    LER MAIS
  • A metáfora empregada pelo professor Anselm Jappe, no Ciclo de Estudos Decálogo do Fim do Mundo, evidencia a sanha destruidora de uma sociedade capitalista que pode sentenciar seu próprio fim

    “Estamos num barco sem combustível e arrancando madeiras do casco para alimentar as caldeiras”

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


13 Julho 2011

Após a decisão de Nova York de permitir o casamento entre pessoas do mesmo sexo, o arcebispo Timothy M. Dolan (foto) alertou que, no futuro, o Estado poderia chegar a permitir a poligamia.

A reportagem é do sítio Independent Catholic News, 10-07-2011. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Em seu blog oficial, The Gospel in the Digital Age [O Evangelho na Era Digital], o arcebispo Dolan disse, no dia 7 de julho, que a Igreja Católica tem sido uma voz profética ao alertar que o divórcio sem culpa, a coabitação e a promiscuidade levariam a "um barateamento do vínculo matrimonial e um dano aos nossos filhos".

"E agora novamente tocamos o sino da torre com essa última diluição da autêntica compreensão do casamento, temendo que o próximo passo seja uma outra redefinição para justificar os múltiplos parceiros e a infidelidade", escreveu.

Dom Dolan também disse estar preocupado que a nova lei e legislações semelhantes nos EUA possam sufocar os direitos religiosos. "O problema é não a homofobia, mas sim a teofobia – o ódio de alguns por Deus, pela fé, pela religião e pela Igreja".

"Se a experiência daqueles outros poucos Estados e países onde isso já é lei nos dá alguma indicação", os fiéis "logo serão perseguidos, ameaçados e levados aos tribunais devido à sua convicção de que o casamento é entre um homem e uma mulher", disse ele.

O arcebispo de Nova York sublinhou que, desde o início, o objetivo dos católicos nessa luta "era pró-matrimônio, nunca antigays". "Como eu respondi recentemente a um repórter que perguntou se eu tinha alguma mensagem à comunidade gay, `sim, eu amo vocês. Todas as manhãs eu rezo com e por vocês e pela sua verdadeira felicidade e bem-estar. Estou honrado pelo fato de que muitos de vocês se sentem em casa dentro da nossa família católica, em que, assim como os demais, nós tentamos, com a ajuda da graça e da misericórdia de Deus, conformar nossas vidas a Jesus e à Sua mensagem".

O arcebispo Dolan afirmou que, em última análise, apesar da legislação em favor do casamento homossexual e da subsequente intolerância às crenças religiosas, a Igreja sempre se levantou e se levantará em nome do casamento – "um homem e uma mulher, unidos no amor eterno e fiel".

"Nada disso é antininguém, mas simplesmente pró-matrimônio", escreveu ele.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Arcebispo de Nova York adverte: depois do casamento homossexual, pode vir a poligamia - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV