Fé e ciência: um apelo para a COP26

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • Para ser ouvida, a Igreja precisa mudar de método. Entrevista com Jean-Claude Hollerich, relator do próximo Sínodo

    LER MAIS
  • A Europa e a guerra da Ucrânia. Artigo de Boaventura de Sousa Santos

    LER MAIS
  • “O virtual não pode ser tudo, porque se for tudo, a vida não faz sentido”. Entrevista com Cédric Durand

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


05 Outubro 2021

 

Publicamos aqui o comunicado da Santa Sé às embaixadas da Itália e do Reino Unido junto à Santa Sé, 04-10-2021, por ocasião da COP-26. A tradução é de Anne Ledur Machado.

 

Eis o texto.

 

Fé e ciência: um apelo para a COP-26

Hoje, os líderes religiosos que representam as principais religiões do mundo se reuniram com os cientistas no Vaticano para pedir à comunidade internacional que eleve as suas ambições e intensifique a ação climática em vista da COP-26. Cerca de 40 líderes religiosos assinaram um apelo conjunto, que foi apresentado pelo Papa Francisco ao presidente designado da COP-26, Rt. Hon Alok Sharma, e ao ministro das Relações Exteriores da Itália, Exmo. Sr. Luigi Di Maio.

Entre os signatários, há representantes de alto nível de todas as confissões cristãs, do Islã xiita e sunita, do judaísmo, do hinduísmo, do sikhismo, do budismo, do confucionismo, do taoísmo, do zoroastrismo e do jainismo – representando um grande número de líderes religiosos.

O apelo:

- Pede que o mundo alcance emissões líquidas zero de carbono o mais rápido possível, a fim de limitar o aumento da temperatura média global a 1,5°C acima dos níveis pré-industriais.

- Exorta as nações mais ricas e com maior responsabilidade a assumirem um papel de liderança, intensificando a sua ação climática em nível nacional e apoiando financeiramente os países vulneráveis para que se adaptem e enfrentem as mudanças climáticas.

- Solicita que os governos aumentem as suas ambições e a cooperação internacional em favor da transição para a energia limpa e para práticas de uso sustentável da terra, sistemas alimentares respeitosos do ambiente e financiamentos responsáveis.

- Compromete os próprios líderes religiosos com uma maior ação climática. Em particular, no sentido de fazerem mais para educar e influenciar os membros das suas próprias tradições religiosas e de participarem ativamente do debate público sobre as questões ambientais. Os líderes religiosos também apoiarão ações voltadas a tornar ecológicos seus próprios recursos comunitários, como propriedades e investimentos.

Com uma janela cada vez menor para restaurar o planeta, os líderes religiosos e os cientistas imploraram que a comunidade internacional aja rapidamente, afirmando: “As gerações futuras nunca nos perdoarão se desperdiçarmos esta preciosa oportunidade. Herdamos um jardim: não devemos deixar um deserto aos nossos filhos”.

O apelo surge depois de meses de diálogo, nos quais os líderes religiosos e os cientistas se encontraram em um espírito de humildade, responsabilidade e respeito recíproco para convergir em um dever moral comum para enfrentar as mudanças climáticas.

A diversidade dos participantes torna este momento altamente significativo, com o potencial de gerar um forte impacto não só na COP-26, mas também em cerca de 84% da população mundial que se identifica com uma fé (cf. The Global Religious Center, Pew Research Center, 2012).

O presidente designado da COP-26, Alok Sharma, afirmou: “Estou honrado por receber esse histórico apelo conjunto, enquanto exortamos a dar passos rumo à limitação do aumento da temperatura global a 1,5°C por ocasião da COP-26 daqui a algumas semanas. Todos nós devemos ouvir as vozes de quem é mais afetado pelas mudanças climáticas, e eu espero que as pessoas de fé continuem fazendo parte desse diálogo enquanto trabalhamos juntos para levar em frente a ação climática”.

 

Notas:

- O evento e o apelo no Vaticano foram precedidos, ao longo de 2021, por uma série de diálogos virtuais entre os líderes religiosos e os cientistas. O evento e os diálogos foram organizados pelas embaixadas da Itália e do Reino Unido junto à Santa Sé e pela própria Santa Sé. O apoio logístico e para a organização do evento e dos seus encontros preparatórios foram fornecidos pela Wilton Park, uma agência executiva do governo britânico.

- O encontro Faith and Science: Towards COP-26 ocorreu depois dos eventos preparatórios para a COP-26 realizados em Milão: a conferência mundial dedicada aos jovens “Youth4Climate: Driving Ambition” e a Pré-COP-26 (de 28 de setembro a 2 de outubro de 2021).

- O Reino Unido, em colaboração com a Itália, sediará a Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP-26), em Glasgow, de 31 de outubro a 12 de novembro de 2021. A cúpula reunirá as partes para acelerar as ações no sentido de alcançar os objetivos do Acordo de Paris e da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas.

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Fé e ciência: um apelo para a COP26 - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV