Frases do dia

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • Para ser ouvida, a Igreja precisa mudar de método. Entrevista com Jean-Claude Hollerich, relator do próximo Sínodo

    LER MAIS
  • A Europa e a guerra da Ucrânia. Artigo de Boaventura de Sousa Santos

    LER MAIS
  • “O virtual não pode ser tudo, porque se for tudo, a vida não faz sentido”. Entrevista com Cédric Durand

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


24 Agosto 2016

Pato

“Mas não há nenhuma discussão qualificada e pública do problema (do aumento ou não dos impostos). Grita quem não quer pagar o pato, paga quem pode gritar menos” – Vinícius Torres Freire, jornalista – Folha de S. Paulo, 24-08-2016.

Grampo

“Os ministros do Supremo merecem respeito, mas não podem ser tratados como indivíduos acima da lei. Em março, quando a Lava Jato divulgou gravação de Lula e Dilma Rousseff, Gilmar Mendes não manifestou a mesma indignação com o vazamento. Na época, o que importava para ele era discutir "o conteúdo" do grampo” – Bernardo Mello Franco, jornalista – Folha de S. Paulo, 24-08-2016.

Ciclo

“Quando Dilma entregar as chaves do Palácio da Alvorada, estará encerrado um ciclo de 13 anos de poder do Partido dos Trabalhadores. Em 2003, Lula vestiu a faixa e a oposição foi para o poder. Hoje, ninguém haverá de dizer o mesmo. Michel Temer era o vice-presidente de Dilma e seu primeiro escalão ampara-se em figuras que sustentaram o comissariado petista. Henrique Meirelles presidiu o Banco Central de Lula, Eliseu Padilha e Gilberto Kassab foram ministros de Dilma. Mudança imediata, drástica e irrecorrível, só a do garçom Catalão, do Palácio do Planalto, que hoje está no gabinete da senadora Kátia Abreu, ministra de Dilma e adversária do impeachment” – Elio Gaspari, jornalista – Correio do Povo, 24-08-2016.

Anos 70

“Cortando aqui e perdendo ali, sobra uma militância cujas raízes estão nos anos 70 do século passado. Defendiam o fim da unicidade sindical, a reforma da CLT, as negociações diretas entre empresas e trabalhadores e tinham horror a empreiteiros. (A recíproca era verdadeira.) Esse era um tempo em que os sindicalistas do PT eram bancários. Com o acesso aos fundos estatais alguns viraram banqueiros e, como João Vaccari Neto, ex-tesoureiro do partido, estão na cadeia” – Elio Gaspari, jornalista – Correio do Povo, 24-08-2016.

Oposição que o Brasil precisa

“Oposição, com algumas ideias na cabeça e pouco dinheiro no bolso, é tudo que o Brasil precisa” – Elio Gaspari, jornalista – Correio do Povo, 24-08-2016.

Debatédio

“E teve debatédio na Band! Não dão nem tempo pra gente respirar. Às 22h30! Dez e meia era horário do vôlei!” – José Simão, humorista – Folha de S. Paulo, 24-08-2016.

Quem ganhou?

“E quem ganhou o debate? Quem foi dormir mais cedo! As três palavras mais proferidas: saúde, transporte e periferia! Mas a periferia tava dormindo!” – José Simão, humorista – Folha de S. Paulo, 24-08-2016.

Pisca ligado

“E a Marta Martox estava com o pisca ligado! Não parava de piscar. Pisca rápido” – José Simão, humorista – Folha de S. Paulo, 24-08-2016.

Nojo

“E pronúncia de grã-fina: "Vou fazer mais dois CEUs em Sasspopeemba". E fazia cara de nojo pros outros candidatos. Eu também faria” – José Simão, humorista – Folha de S. Paulo, 24-08-2016.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Frases do dia - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV