Estudo revela que saúde dos índios piorou

Mais Lidos

  • As responsabilidades das Forças Armadas no golpe. Artigo de Jean Marc von der Weid

    LER MAIS
  • Terra Yanomami tem 363 mortes registradas no 1º ano do governo Lula

    LER MAIS
  • “Gostaria de mais casos de anulação de casamento. Ajuda a curar o sofrimento da separação”, afirma cardeal Zuppi

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

14 Novembro 2006

 A primeira metade desta década foi marcada por importantes conquistas dos povos indígenas no Brasil. Eles continuaram num processo de crescimento populacional e obtiveram mais terras. Por outro lado, ocorreu uma visível deterioração no atendimento na área da saúde.

Entre os indicadores dessa piora podem ser citados o aumento do número de mortes causadas por desnutrição infantil entre os caiovás de Mato Grosso do Sul, o ressurgimento da malária entre os ianomâmis de Roraima e a maior incidência de casos de tuberculose - endemia presente em várias tribos. Também faz parte da lista o recrudescimento de epidemias, como a de doenças sexualmente transmissíveis que ocorre no Parque Nacional do Xingu, e a de hepatite B e D no Vale do Javari, no Amazonas.

A taxa de mortalidade infantil, importante indicador das condições de vida, aumentou entre 2004 e 2005. Ela tinha caído de maneira acentuada nos dois primeiros anos da década, perdeu o ritmo com Lula e, finalmente, recrudesceu em 2005.

(cfr. notícia do dia 14-11-06, desta página).

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Estudo revela que saúde dos índios piorou - Instituto Humanitas Unisinos - IHU