31ª Romaria da Terra: juventude, luta e resistência em defesa da vida. Entrevista especial com Evanir Albarello

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


04 Fevereiro 2008

Acontece hoje, terça-feira, a 31ª Romaria da Terra. Com o tema “Juventude, luta e resistência em defesa da vida”, o evento começa na comunidade da Linha São Francisco, localizada a sete quilômetros da cidade de Três Passos, aqui no Rio Grande do Sul. A IHU On-Line conversou com um dos organizadores da Romaria, Evanir Albarello, que falou sobre a importância da luta dos jovens da roça por uma educação focada na vida do campo que contribua para o desenvolvimento sustentável.

“A motivação do tema coincidiu com a celebração dos 25 anos da Pastoral da Juventude Rural e também com a beatificação do coroinha Adílio Daronch e do padre espanhol Manoel Gómez Gonzalez. O tema relacionado à juventude da roça é propício diante da realidade que se encontra a juventude do campo”, afirmou Albarello, em entrevista realizada por telefone.

Confira a entrevista.

IHU On-Line – Por que o tema escolhido para esta 31ª Romaria da Terra é a juventude e sua luta?

Evanir Albarello – A motivação do tema coincidiu com a celebração dos 25 anos da Pastoral da Juventude Rural e também com a beatificação do coroinha Adílio Daronch e do padre espanhol Manoel Gómez Gonzalez. O tema relacionado à juventude da roça é propício diante da realidade na qual se encontra a juventude do campo. Vive-se num processo em que o agronegócio busca tirar as pessoas da roça e buscamos entender que o meio rural será desenvolvido apenas se, em primeiro lugar, houver uma distribuição das pessoas no território e se a juventude permanecer na roça, tendo condições de desenvolver o campo com infra-estrutura, com transporte, com comunicação e condições próprias de produzirem um alimento saudável que vai para a mesa de todo o povo brasileiro.

IHU On-Line – Quais são as atividades previstas para este ano?

Evanir Albarello – A preparação da Romaria teve vários encontros ampliados, nos quais as pessoas estudaram o tema. Isso aconteceu a partir de abril de 2007. Todas as dioceses também fazem encontros de formação, em que é discutida toda a proposta do tema da Romaria. A partir daí, as dioceses se mobilizam e articulam caravanas. As equipes de trabalho da diocese que acolhe esse evento se reúnem para poder preparar bem toda a infra-estrutura e receber os milhares de romeiros e romeiras que vão chegar a Três Passos para a Romaria.

A Romaria irá acontecer na comunidade da Linha São Francisco, no Distrito de Padre Gonzáles, que fica a sete quilômetros do centro de Três Passos. Ela inicia no Santuário do Martírio, onde foram assassinados o coroinha Adílio e o Padre Manoel, em 21 de maio de 1924. A partir dessa acolhida e abertura nesse local, será realizada uma caminhada até uma propriedade da comunidade da Linha São Francisco, onde o meio ambiente está bem conservado e preservado. Acreditamos que de 15 a 20 mil pessoas participarão da Romaria.

IHU On-Line – Qual é o sentido, hoje, da Pastoral da Juventude Rural?

Evanir Albarello – Uma das propostas que a 31ª Romaria apresenta é a da organização das pessoas e dos jovens em grupos. Todo esse sentido é porque é fundamental a participação do jovem tanto na vida da comunidade, na vida da família, como na vida da igreja e das pastorais. O sentido maior é que a juventude seja organizada e reflita os problemas da realidade e desenvolva um processo democrático e exercite a sua cidadania. Que cada jovem seja cidadão e responsável pelos caminhos que a sua comunidade, a sua família e a sua sociedade brasileira tomam. Esperamos que o jovem, em geral, participe das decisões da sociedade brasileira.

IHU On-Line – Quais são os maiores desafios que a juventude rural encara hoje?

Evanir Albarello – Para juventude rural de hoje, o maior desafio é permanecer no campo desenvolvendo renda e tendo um processo de educação de qualidade e voltada ao meio rural. Uma educação que ensine aos filhos de camponeses e camponesas a produzirem na terra, tudo isso vindo acompanhado, é claro, de políticas públicas que atendam a necessidade da juventude e da produção.

IHU On-Line – De que forma os jovens que vivem no interior, nas zonas rurais, podem lutar para serem agentes na transformação da sociedade e do meio onde vivem?

Evanir Albarello – Em primeiro, é importante que eles saibam que sozinhos nós não chegaremos a lugar algum. É difícil. Por isso, é preciso que os jovens se motivem para se organizarem, pois em grupo somos fortes. Mas, para se organizarem em grupos, é preciso que os jovens entendam também os modelos de produção e, então, estejam aptos para optarem por um modelo de produção. Nós orientamos para que eles optem pela agroecologia, que é um modelo de produção sustentável. Com isso, eles podem participar das instâncias sociopolíticas da comunidade e da sociedade em geral. Ele podem participar dos sindicatos, das instituições da Igreja, de partidos políticos, das decisões sociopolíticas. Além disso, podem se mobilizar para opinar e participar de todos os processos de cidadania.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

31ª Romaria da Terra: juventude, luta e resistência em defesa da vida. Entrevista especial com Evanir Albarello - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV