México mostra sua indignação pelo assassinato e roubo dos corpos dos jesuítas

Revista ihu on-line

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mais Lidos

  • “Da crise não se sai sozinho. Se sai arriscando e dando a mão ao outro”. Entrevista com o Papa Francisco

    LER MAIS
  • "A sinodalidade é um processo dinâmico que nunca termina". Entrevista com Dom Luis Marín de San Martín

    LER MAIS
  • "Derrotar Bolsonaro nas urnas não acabará com bolsonarismo", afirma Marcos Nobre

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


22 Junho 2022

 

  • Desde 2018, 7 padres foram assassinados violentamente no país.

 

  • Milhares de pessoas manifestaram sua indignação nas redes sociais após a notícia divulgada pela Companhia de Jesus no México denunciando o assassinato dos padres Javier Campos Morales, SJ e Joaquín César Mora Salazar, SJ, ocorrido ontem, 20 de junho, dentro do templo de à comunidade de Cerocahui, Chihuahua, por ajudar um civil fugindo do crime organizado.

 

  • O governo mexicano indica que já há informações sobre os possíveis autores, mas os jesuítas pedem para recuperar os corpos de seus irmãos, pois foram levados por pessoas armadas e ainda não se sabe nada sobre eles.

 

A reportagem é de Jimena Hernández, publicada por Religión Digital, 21-06-2022.

 

Na segunda-feira, 20 de junho, por volta do meio-dia, a Companhia de Jesus soube do assassinato de seus dois irmãos Javier Campos Morales, SJ, 79 anos, e Joaquín César Mora Salazar, SJ, 81 anos, na comunidade Cerocahui, Chihuahua.

 

Padres Javier Campos, SJ, (à esquerda) e Joaquín Mora, SJ (à direita). (Foto: Vatican Media)

 

De acordo com o relato dos irmãos jesuítas da comunidade, eles ouviram que algo estava acontecendo dentro do templo, anexo à casa onde estavam, foi então que os irmãos Javier e Joaquín saíram para verificar e perceberam que havia uma pessoa procurando abrigo, dentro do templo e outros o perseguiram para matá-lo, e no final os irmãos jesuítas também foram mortos no local.



Os corpos foram levantados e transportados pelos seus assassinos, como se sabe, pois um dos irmãos jesuítas pôde observar como carregavam os 3 corpos, que se presume estarem mortos. No entanto, devido às ameaças, tiveram que esperar para denunciar e expressar sua indignação por esse terrível ato sofrido por milhares de pessoas nesta região.

 

Agora cabe às autoridades a recuperação dos corpos, e a segurança da comunidade, onde ainda se encontram freiras, leigos e jesuítas. Isto foi afirmado por Hernán Quezada, membro da Equipe de Governo da Companhia de Jesus no México.

 

“A questão não é pegar um culpado, mas de tudo que está implicado com essa situação do assassinato agora de nossos irmãos… que o sangue de nossos irmãos possa fermentar para que chegue a paz que tanto precisamos em nosso país. É isso que queremos, primeiro que a equipe pastoral e a comunidade de Cerocahui estejam bem, depois recuperem os corpos de nossos irmãos, que a paz e a justiça sejam restauradas, é o que nós, jesuítas, temos principalmente em nossos corações neste momento.”

 

Javier e Joaquín são homens que passaram a vida lá, faziam parte da cidade, pessoas muito queridas, respeitadas, queridas da Sierra Tarahumara… quando uma situação como esta acontece dentro do templo, é quando dizemos, existe um limite? Existe algo que possa conter essa situação de violência pela qual estamos passando?”

 

“Atos como esses não são isolados. A Sierra Tarahumara, como muitas outras regiões do país, enfrenta condições de violência e negligência que não foram revertidas. Todos os dias homens e mulheres são arbitrariamente privados de vida, pois nossos irmãos foram assassinados hoje”, diz o comunicado condenando o ato e pedindo proteção para seus irmãos.

 

Por sua vez, a Conferência do Episcopado Mexicano, presidida por Dom Rogelio Cabrera López, Arcebispo de Monterrey, emitiu uma declaração expressando sua indignação e dor por esses lamentáveis assassinatos, além de expressar solidariedade à Companhia de Jesus para que se faça justiça.

 

"Em meio a tantas mortes e crimes no país, condenamos publicamente essa tragédia e exigimos uma investigação rápida e segurança para a comunidade e todos os padres do país".

 

"Rogamos a Nosso Senhor Jesus Cristo, receba-os e recompense-os com o seu Reino, pelo seu generoso serviço e dedicação pastoral para o bem do povo confiado, e a todos nós que peregrinos no tempo, imploramos que nos conforte em esta tribulação com a esperança da Vida Eterna”, conclui o comunicado.

 

Durante sua conferência matinal, o presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, comentou que já há informações sobre os supostos responsáveis pelo assassinato dos dois padres jesuítas e de um civil em Urique, Chihuahua.

 

"A informação que temos até agora, até as 5 da manhã, é que eles entraram na igreja de Urique perseguindo uma pessoa, eles o assassinaram, os padres saíram e aparentemente eles também foram assassinados, estamos tratando desse assunto agora mesmo."
 

“Sabemos que Urique é uma área com grande presença do crime organizado, parece que já há informações sobre os possíveis autores, é a única coisa que sabemos, estamos trabalhando nisso”, disse o presidente.

 

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

México mostra sua indignação pelo assassinato e roubo dos corpos dos jesuítas - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV