FMI reduz estimativa de crescimento da economia mundial em 2022. Artigo de José Eustáquio Diniz Alves

Mais Lidos

  • O Papa: as paróquias devem ser comunidades próximas, sem burocracia. Vídeo do Papa

    LER MAIS
  • "Vou para Roraima em espírito de serviço e de prontidão para aquilo que Deus quer". Entrevista com Dom Evaristo Spengler

    LER MAIS
  • Por um ‘Tribunal Russel’ sobre o genocídio Yanomami. Artigo de Tarso Genro e Marcelo Carneiro da Cunha

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

26 Abril 2022

 

"O relatório do FMI mostra que as perspectivas econômicas globais pioraram significativamente em 2022", escreve José Eustáquio Diniz Alves, demógrafo e pesquisador em meio ambiente, em artigo publicado por EcoDebate, 25-04-2022.

 

Eis o artigo.

 

O Produto Interno Bruto (PIB) global retraiu -3,1% em 2020 em função da pandemia da covid-19, mas cresceu 6,1% em 2021. A média do crescimento da economia internacional foi de 1,5% no biênio 2020-21. É um valor bem abaixo da média da década passada. Portanto, esperava-se que houvesse continuidade da recuperação em 2022.

 

Mas com a invasão da Ucrânia pela Rússia a retomada não ocorreu como esperado gerando constantes revisões para baixo por parte do Fundo Monetário Internacional (FMI). O crescimento do PIB é menor e a inflação é maior.

 

Segundo as projeções do relatório World Economic Outlook (WEO), do FMI, de outubro de 2021, o crescimento do PIB de 2022 seria de 4,9% no ano. Mas na atualização do WEO em janeiro de 2022 a projeção foi reduzida para 4,4% no ano. As novas projeções do FMI, divulgadas no WEO de abril de 2022, indicam um crescimento de 3,6% em 2022, conforme a tabela abaixo.

 

O PIB dos EUA para 2022 estava estimado em 5,2% (out/21), caiu para 4% (jan/21) e agora 3,7%. O PIB do Brasil para 2022 estava estimado em 1,5%, caiu para 0,3% e agora em abril subiu para 0,8% em 2022. O PIB da Rússia para 2022 estava estimado com crescimento de 2,9% (em out/21), caiu para 2,8% em janeiro e agora a estimativa caiu para uma recessão de -8,5% em 2022 e uma recessão de -2,3% em 2023. O relatório do FMI não apresenta dados para o desempenho econômico da Ucrânia em 2022 e os anos adiante, mas sabe-se que haverá um colapso muito grande da economia e da qualidade de vida.

 

Foto: EcoDebate

 

O grande surto da covid-19 no primeiro trimestre de 2022 contribuiu para a redução do ritmo das atividades econômicas globais. Mas foi a guerra na Ucrânia que desencadeou uma crise humanitária custosa e afetou toda a economia internacional. Assim, os danos econômicos do conflito militar tem contribuído para uma desaceleração significativa do crescimento global em 2022, enquanto aumenta a inflação. Os preços dos combustíveis e dos alimentos aumentaram rapidamente, atingindo com mais força as populações vulneráveis em países de baixa renda.

 

Haverá redução do ritmo também em 2023, sendo que o crescimento global deverá cair para cerca de 3,3% no médio prazo. Os aumentos nos preços das commodities induzidos pela guerra e as crescentes pressões sobre os preços levaram a projeções de inflação para 2022 de 5,7% nas economias avançadas e 8,7% nos mercados emergentes e economias em desenvolvimento – 1,8 e 2,8 pontos percentuais acima do projetado em janeiro passado. Desta forma, são essenciais os esforços multilaterais para responder à crise humanitária, evitar maior fragmentação econômica, manter a liquidez global, gerenciar o sobre endividamento, combater as mudanças climáticas e acabar com a pandemia, como mostra o atual relatório WEO do FMI.

 

A tabela abaixo mostra que o crescimento é bem diferenciado entre as economias ricas (avançadas) e as economias de renda média e baixa (emergentes e em desenvolvimento). As economias avançadas devem crescer 3,3% em 2022 e 2,3% em 2023, enquanto as economias em desenvolvimento devem crescer 3,8% e 4,2% nos dois anos. A África Subsaariana também deve crescer mais do que as economias ricas. Porém, a América Latina deve crescer somente a 2,4% em 2022 e 2023 abaixo das demais regiões do mundo e abaixo da média mundial. E o Brasil vai crescer abaixo da média da América Latina.

 

Foto: EcoDebate

 

Desta forma, o relatório do FMI mostra que as perspectivas econômicas globais pioraram significativamente em 2022. A deterioração da economia internacional ocorre, em grande parte por conta da invasão da Ucrânia pela Rússia – causando uma trágica crise humanitária na Europa Oriental. Esta crise se desenrola quando a economia global estava avançando, mas ainda não havia se recuperado totalmente da pandemia da Covid-19.

 

Os efeitos econômicos da guerra estão se espalhando como ondas sísmicas que emanam do epicentro de um terremoto, principalmente através de commodities. A escassez de suprimentos relacionadas à guerra amplificará grandemente as pressões econômicas, nomeadamente através aumentos no preço da energia, metais e alimentos. Embora se espere que os gargalos acabem aliviando já que a produção em outros lugares responde a preços mais altos e nova capacidade torna-se operacional, escassez de oferta em alguns setores devem durar até 2023. Como resultado, a inflação está agora projetada para permanecer elevada por muito mais longo do que na previsão anterior, tanto nas economias emergentes, quanto nas em desenvolvimento.

 

Esforços multilaterais para responder à crise humanitária, evitar uma maior fragmentação econômica, manter a liquidez global, gerenciar o sobre endividamento, enfrentar a crise climática e controlar e acabar com a pandemia continuam sendo essenciais.

 

As instituições multilaterais devem oferecer uma rede de segurança crítica, fornecendo liquidez de emergência para evitar que as crises se espalhem e cause danos ainda maiores.

 

Referência

 

FMI. World Economic Outlook (WEO), War Sets Back the Global Recovery. International Monetary Fund, APR 2022. Disponível aqui.

 

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

FMI reduz estimativa de crescimento da economia mundial em 2022. Artigo de José Eustáquio Diniz Alves - Instituto Humanitas Unisinos - IHU