Papa Francisco renuncia às férias, novamente, mas reduzirá a agenda a partir de julho

Mais Lidos

  • Genocídio Yanomami em debate no IHU. Quanta vontade política existe para pôr fim à agonia do povo Yanomami? Artigo de Gabriel Vilardi

    LER MAIS
  • A campanha da Fraternidade 2024. Fraternidade e Amizade Social. Artigo de Flávio Lazzarin

    LER MAIS
  • A primeira pergunta de Deus ao homem foi “Onde você está?”. O Artigo é de Enzo Bianchi

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

25 Junho 2020

O Papa renunciará, novamente, a passar os meses de julho e agosto na cidade pontifícia de Castel Gandolfo, um palácio fortificado do século XVII, à margem do Lago Albano, Itália. Francisco permanecerá no apartamento 201 do segundo piso da Casa Santa Marta, onde reside habitualmente, trabalhando, ainda que com um ritmo mais pausado, como fez todos os verões anteriores desde que foi eleito pontífice.

A reportagem é publicada por Religión Digital, 24-06-2020. A tradução é de Wagner Fernandes de Azevedo.

Aos 83 anos, Jorge Mario Bergoglio conserva alguns dos costumes de quando era cardeal em Buenos Aires e não fará as malas para ir descansar, como faziam seus predecessores, mas somente diminuirá a sua agenda.

De fato, o complexo estival pontifício – situado a 40km da capital italiana – foi transformado em museu para os turistas, ainda que somente estejam abertas ao público algumas salas que abrigam vitrines com os ornamentos litúrgicos que pertenceram aos pontífices anteriores, assim como seus retratos.

Ainda que o Vaticano não tenha anunciado de forma oficial, durante o mês de julho, o Papa cancelará as audiências gerais públicas das quartas-feiras, que serão retomadas em agosto. Os cuidados com a pandemia impuseram que as catequeses semanais fossem celebradas sem fiéis e com o total respeito das distâncias de segurança em uma sala da Biblioteca Apostólica do Vaticano e não na praça São Pedro.

Seguirá trabalhando na redação de documentos e discursos para o resto do ano

Sua agenda também se viu afetada e reduzida a mínimos encontros e visitas para evitar o risco de contágio de coronavírus. No mês de julho estarão suspensas até agosto.

Sua única fala pública será no Ângelus, que continuará rezando da janela de seu escritório privado no Palácio Apostólico do Vaticano. Não obstante, ainda que o Pontífice reduzirá suas aparições em público, seguirá trabalhando na redação de documentos e discursos para o resto do ano. As viagens fora da Itália também foram canceladas durante este ano pela pandemia.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Papa Francisco renuncia às férias, novamente, mas reduzirá a agenda a partir de julho - Instituto Humanitas Unisinos - IHU