500 anos da Reforma: em Londres, primaz anglicano diz não à ''tentação de se dividir''

Mais Lidos

  • As responsabilidades das Forças Armadas no golpe. Artigo de Jean Marc von der Weid

    LER MAIS
  • “Gostaria de mais casos de anulação de casamento. Ajuda a curar o sofrimento da separação”, afirma cardeal Zuppi

    LER MAIS
  • Terra Yanomami tem 363 mortes registradas no 1º ano do governo Lula

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

01 Novembro 2017

Não à tentação de se dividir. Referindo-se à força unificadora do Evangelho, o primaz anglicano Justin Welby, nessa terça-feira, 31, em Londres, durante a comemoração dos 500 anos da Reforma protestante na Abadia de Westminster, recordou as palavras do Pe. Raniero Cantalamessa, que, a partir do mesmo púlpito, em 2015, na abertura do Sínodo da Igreja da Inglaterra, evitou falar “daquilo que houve de certo e de errado na Reforma”.

A reportagem é do Servizio Informazione Religiosa (SIR), 31-10-2017. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

“A tentação, a 500 anos da Reforma, é de se deixar dividir novamente. Porque a Igreja, em todos os períodos, vive a sua experiência de Deus em um contexto histórico, entre pressões políticas e de poder. Era verdade há 500 anos e é verdade hoje.”

É muito importante, portanto, voltar ao Evangelho que, “poderosamente renovado na Reforma, é eterno”, disse Welby.

“O Evangelho sempre fala às necessidades de cada época e hoje nos lembra um século XXI de desigualdade, de refugiados e de tráfico humano. O Evangelho não é uma ideia, mas vida, amor e transformação, e, se os portadores da boa notícia não estão reunidos pelo amor, como podem convencer de que aquilo que dizem é verdade?”, acrescentou o primaz anglicano.

A pregação concluiu com um apelo à unidade dos cristãos e à advertência contra o risco de “fechar-se em bolhas de identidades diferentes que se olham com indignação e antagonismo”.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

500 anos da Reforma: em Londres, primaz anglicano diz não à ''tentação de se dividir'' - Instituto Humanitas Unisinos - IHU