Sudão do Sul. Irmã Missionária Serva do Espírito Santo é assassinada

Mais Lidos

  • Católicos cínicos e a negatividade em relação ao Papa Francisco. Artigo de Massimo Faggioli

    LER MAIS
  • Influenciadores ou evangelizadores digitais católicos? Artigo de Dom Joaquim Mol

    LER MAIS
  • Campanha da Fraternidade 2024: Fraternidade e Amizade Social. Artigo de José Geraldo de Sousa Junior e Ana Paula Daltoé Inglêz Barbalho

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

23 Mai 2016

Morreu na sexta-feira, dia 20 de maio, num hospital de Nairobi, no Quênia, Veronika Terézia Rackova, 58 anos, eslovaca, da Congregação das Irmãs Missionárias Servas do Espírito Santo - MSSpS.

A irmã religiosa fora translada, por via aérea, desde o Sudão do Sul depois de ter sido baleada enquanto levava uma mulher grávida para o hospital local.

A informação é publicada por ACI, 21-05-2016. A tradução é de IHU On-Line.

Ela foi baleada na última segunda-feira, 16 de maio. O disparo atingiu seu estômago e causou fraturas na pélvis. Em Nairobi foi operada mas não resistiu depois de vários infartos.

A irmã Veronika era diretora do St. Bakhita’s Medical Center em Yei, Sudão do Sul. Ela antes trabalhou na Itália, Holanda, Alemanha, Áustria, Irlanda, Reino Unido, Indonésia e Gana.

Ela trabalhava no Sudão do Sul há seis anos, juntamente outras cinco religiosas provenientes da Argentina, Filipinas, Papua Nova Guiné e Indonésia.

Os meio de comunicação do Sudão do Sul informam que foram presos três suspeitos do ataque. Eles seriam membros do Sudan People Liberation Army.

O ministro da comunicação do governo sudanês condenou o incidente como “um ato indisciplinado e bárbaro”.

O atentado à religiosa mostra o alto risco que vivem os religiosos e as religiosas juntamente com a população do Sudão do Sul.

Recentemente um centro educativo dirigido por religiosas foi atacado e as irmãs que lá trabalham foram ameaçadas.

A república do Sudão do Sul, a nação mais jovem do mundo depois da sua separação do Sudão, em 2011, vive há dois anos uma feroz guerra civil, entre o exército regular do país, leal ao presidente Salva Kiir, e os rebeldes do ex-vice-presidente Riek Machar.

Nota da IHU On-Line: As Irmãs Missionárias Servas do Espírito Santo - MSSpS, atuam também no Brasil, entre outros, nos estados do Paraná, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Rondônia. Para saber mais clique aqui.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Sudão do Sul. Irmã Missionária Serva do Espírito Santo é assassinada - Instituto Humanitas Unisinos - IHU