Com medo de nova chacina, moradores deixam assentamento em Colniza

Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Mais Lidos

  • Bolsonaro e Lula: Friedman versus Keynes

    LER MAIS
  • Primeira-dama esquece que reino de Jesus não é deste mundo. Artigo de Edelberto Behs

    LER MAIS
  • Inteligência afetiva, o fundamento que une todas as espécies. Artigo de Roberto Marchesini

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


29 Abril 2017

Com medo de uma nova chacina, moradores do assentamento Taquaruçu do Norte, no município de Colniza, em Mato Grosso, estão deixando a região, informou ontem (25 ) a Comissão da Pastoral da Terra (CPT). A entidade vem atuando no local desde o dia 19, quando adultos, idosos e crianças foram atacados por “encapuzados”, e nove pessoas foram assassinadas. A área fica a 1.065 quilômetros de Cuiabá, na região noroeste do estado. O povoado hoje está praticamente vazio, diz a CPT.

A reportagem é de Wendel Sousa, publicada por Agência Brasil, 26-04-2017. 

A Secretaria de Segurança Pública de Mato Grosso deslocou uma equipe de investigadores e peritos de Cuiabá para reforçar as investigações na região. A força-tarefa tem 32 profissionais, sendo 19 policiais militares, quatro policiais civis, quatro peritos, três bombeiros militares e dois pilotos da Coordenação Integrada de Operações Aéreas, além de seis viaturas das polícias Militar e Civil, cinco caminhonetes emprestadas, um avião, dois barcos e uma motocicleta.

Segundo a CPT, os conflitos são constantes na região. Em 2004, famílias foram expulsas de outro assentamento em Taquaruçu do Norte por homens fortemente armados, conforme relatos, os mesmos que ainda teriam destruído plantações de 185 famílias que habitavam a região.

Em nota divulgada hoje, a comissão se solidariza com as famílias das vítimas da chacina, “que denota requintes de crueldade”, e diz que o clima tenso assola a localidade intimidando os poucos moradores que ainda permanecem em Taquaruçu do Norte.

A Pastoral informou que continua acompanhando as famílias e que espera respostas do caso nas apurações da polícia. A polícia disse que as investigações ocorrem em sigilo.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Com medo de nova chacina, moradores deixam assentamento em Colniza - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV