"O casamento também pode fracassar. É preciso tentar curar as feridas." Entrevista com Pierangelo Sequeri

Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Mais Lidos

  • Um bomba social por trás do Auxílio Brasil

    LER MAIS
  • O evangelismo empreendedor: o entrepreneurship na ação política das organizações não-governamentais transnacionais da nova direita

    LER MAIS
  • Pedro Casaldáliga no caminho dos Padres da Igreja da América Latina. Artigo de Juan José Tamayo

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


27 Julho 2015

"Quanto mais se compreende em profundidade a fisiologia do matrimônio cristão, mais estamos preparados a responder à pergunta sobre o fracasso do próprio matrimônio. Os trabalhos do seminário, no fundo, também estavam voltados a isso, a uma maior compreensão para responder ao desafio das feridas."

A reportagem é de Paolo Rodari, publicada no jornal La Repubblica, 22-07-2015. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Pierangelo Sequeri, teólogo e escritor, um dos organizadores das atas do seminário ocorrido no Pontifício Conselho para a Família, explica que, "na sequência das conclusões que o Santo Padre fez em outubro passado no Sínodo sobre a família, nas quais ele pedia para 'encontrar soluções concretas para tantas dificuldades e inúmeros desafios que as famílias devem enfrentar', trabalhou-se em um espírito de comunhão e favorecendo um livre debate".

Eis a entrevista.

De onde nasceu a ideia da via discretionis?

Trata-se de uma linha de síntese entre a antiga disciplina penitencial e a práxis que, depois, parou (mas não totalmente) anterior ao esclarecimento ocorrido com a exortação apostólica Familiaris consortio de João Paulo II. Segundo a chamada "probata praxis in foro interno", até algumas décadas atrás, podiam-se admitir aos sacramentos os divorciados em segunda união por uma escolha de consciência aprovada pelo confessor. Muitas vezes, de fato, não se conseguia se alinhar com a nulidade e, então, concediam-se os sacramentos com o acordo de que tudo devia permanecer confidencial, para não criar escândalo, até a absolvição canônica.

O Sínodo de outubro próximo irá incorporar essa estrada?

É difícil responder. Ele poderia dizer muitas coisas: por exemplo – mas estamos no campo das hipóteses – que se deve parar no limiar da Eucaristia. Ou o Sínodo poderá aceitar esse caminho penitencial na íntegra, especificando as condições da sua compatibilidade com a doutrina sacramental e moral do matrimônio.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

"O casamento também pode fracassar. É preciso tentar curar as feridas." Entrevista com Pierangelo Sequeri - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV