Escândalo de milhares de mortes não pode passar em branco – Frases do dia

Revista ihu on-line

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mais Lidos

  • Diante do nacionalismo da Grande Rússia, vamos reinventar o internacionalismo. Artigo de Pierre Dardot e Christian Laval

    LER MAIS
  • “Receber dinheiro para evangelizar de quem gera morte é contraditório”. Entrevista com Dom José Ionilton Lisboa de Oliveira

    LER MAIS
  • “Fratelli Tutti” coisa nenhuma. “Memorando” exorta que antes do conclave os cardeais releiam “Dominus Iesus”

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


29 Abril 2021

 

‘Escândalo de milhares de mortes diárias não pode passar em branco’

“O escândalo de milhares de mortes diárias por Covid-19 não pode continuar, nem passar em branco. O atraso na compra de vacinas, combinado a discursos negacionistas que não cessam de provocar o aumento da contaminação, aponta inexoravelmente para a acumulação dos óbitos. Em nome dos que perdemos e dos que podemos preservar, esperamos que os senadores não poupem esforços e coragem” – Margarida Bulhões Pedreira Genevois, presidente de honra da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos Dom Paulo Evaristo Arns – Comissão Arns, José Carlos Dias, advogado criminalista e ex-ministro da Justiça (governo FHC), presidente da Comissão Arns e André Singer, professor de ciência política da USP, membro-fundador da Comissão Arns, em “Carta aos membros da CPI da Covid” – Folha de S. Paulo, 29-04-2021.

 

Grande vilão

“Nosso ministro da Economia afirmou na terça (27) que não foi a pandemia que tirou a capacidade de atendimento do setor público, mas sim o “direito à vida”. O direito fundamental, grande vilão que incomoda tanto segmentos expressivos de nossas lideranças da economia na atualidade” – Cida Bento, diretora-executiva do CEERT (Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades), doutora em psicologia pela USP, no artigo “O tempo dos senhores da morte”– Folha de S. Paulo, 29-04-2021.

 

Realistas?

No cenário trágico em que vivemos, os senhores da morte focam as suas velhas agendas que ampliam a concentração brutal de riquezas e o aumento da extrema pobreza constatados nas manchetes dos jornais neste triste período pandêmico. Será que, quando alguns teóricos da economia afirmam que o “mercado” está fora dos territórios nos quais estão vigendo as normas da afeição humana, a empatia, a ética e a moral, eles estão sendo apenas realistas? – Cida Bento, diretora-executiva do CEERT (Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades), doutora em psicologia pela USP, no artigo “O tempo dos senhores da morte”– Folha de S. Paulo, 29-04-2021.

 

Necropolítica

“O significado da necropolítica conceituada por Mbembe nos ajuda a entender por que lideranças de organizações públicas e privadas se omitem ou agem ampliando os números de mortes a cada dia. E nós, aprisionados nos medos e desesperos e na frustração, como podemos recriar e ressignificar a vida?” – Cida Bento, diretora-executiva do CEERT (Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades), doutora em psicologia pela USP, no artigo “O tempo dos senhores da morte”– Folha de S. Paulo, 29-04-2021.

 

Ubuntu

“Finalizo rememorando uma filosofia africana —Ubuntu, que tem em sua essência respeito, solidariedade, empatia, valorizando a alteridade: “Eu sou porque nós somos”. Ubuntu é como uma ética social ligada à história da luta contra a violação da cidadania e dos direitos humanos. Uma sociedade com Ubuntu é acolhedora, hospitaleira, generosa e disposta a compartilhar” – Cida Bento, diretora-executiva do CEERT (Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades), doutora em psicologia pela USP, no artigo “O tempo dos senhores da morte”– Folha de S. Paulo, 29-04-2021.

 

Envelhecer

“Recorro às palavras da juíza Andrea Pachá, em recente tuíte: "Só entende o desejo de envelhecer e completar o ciclo da existência, experimentando a longevidade, aquele que ama a vida e a entende como direito humano fundamental. Sentimento inexplicável para o ministro que se indigna com os velhos que insistem em viver" – Mariliz Pereira Jorge, jornalista e roteirista de TV – Folha de S. Paulo, 29-04-2021.

 

Agenda da morte

“Nossa cruzada será contra a agenda da morte” – Renan Calheiros, senador, relator da CPI da Covid, bradando ao citar Milosevic e Pinochet, como exemplos de crimes contra a humanidade que não prescrevem – O Estado de S. Paulo, 29-04-2021.

 

Direitos de propriedade intelectual para vacinas

“Suresh Reddy, embaixador da Índia no Brasil, defendeu a renúncia temporária de direitos de propriedade intelectual para vacinas, medicamentos e tecnologia, proposta foi apresentada pela Índia e pela África do Sul à OMC” – O Estado de S. Paulo, 29-04-2021.

 

Mãozinha

“Vai garantir que direitos de propriedade intelectual não restrinjam aumento na produção e não impeçam o acesso justo e a um preço acessível de vacinas, medicamentos e outros bens necessários para lidar com a pandemia” – Suresh Reddy, embaixador da Índia no Brasil, pedindo apoio do Brasil à causa – Coluna do EstadãoO Estado de S. Paulo, 29-04-2021.

 

Brasil e Vietnã

“Testagem para covid nunca foi efetiva no Brasil. Algumas cidades fazem testes, mas o resultado só vem após sete a dez dias! Para que fazer então? Não serve para nada. O Vietnã atua preventivamente. Fez testagem, rastreamento de contatos e isolamento de infectados, além de usar máscaras. Tudo promovido em campanhas do governo. Com vacinação incipiente, registra 0,04 mortes por 100 mil habitantes. E nós, 181,7” – Gonzalo Vecina, médico sanitarista – O Estado de S. Paulo, 29-04-2021.

 

Araraquara e o Brasil

“Araraquara compra testes da Unesco a R$ 90 cada, mas ficam prontos no mesmo dia. Gastam uma grana com isso. Duas medidas urgentes que ainda poderiam ser adotadas no Brasil são resolver a demora nos resultados e ampliar a testagem, adotando como modelo o que é feito em Araraquara” – Gonzalo Vecina, médico sanitarista – O Estado de S. Paulo, 29-04-2021.

 

Completa e detalhada

“A abertura da CPI nos mostrou uma coisa: Bolsonaro, quando quer, sabe se organizar, desde que seja para defender seus próprios interesses. Em poucos dias, a Casa Civil produziu uma lista de acusações mais completa e detalhada do que a própria comissão. Ele sabe o que ele fez” – Gabriela Prioli, professora na pós-graduação da Universidade Presbiteriana Mackenzie – Folha de S. Paulo, 29-04-2021.

 

Guedes e a China

“Afinal, não dá mesmo para todo mundo querer viver cem anos, como alertou Paulo Guedes na mesma reunião do Conselho de Saúde Complementar em que falou que a China, principal fornecedor de vacinas e insumos ao Brasil, inventou o vírus e criticou a Coronavac, que representa 84% das vacinas aplicadas no país, apesar do trabalho de Bolsonaro em descredibilizar o imunizante” – Gabriela Prioli, professora na pós-graduação da Universidade Presbiteriana Mackenzie – Folha de S. Paulo, 29-04-2021.

 

Escondido

“Descoberta e disponibilizada a vacina, o isolamento que afeta a economia deixou de ser culpa do vírus para ser responsabilidade de quem atrasou deliberadamente o plano de vacinação. Vacina, aliás, que não faltou para o general Ramos, que precisou se imunizar escondido para não melindrar o seu chefe” – Gabriela Prioli, professora na pós-graduação da Universidade Presbiteriana Mackenzie – Folha de S. Paulo, 29-04-2021.

 

Raoni

“As comissões de Meio Ambiente e de Direitos Humanos no Senado vão fazer audiência na sexta-feira (30) sobre o enfrentamento à Covid-19 nas populações indígenas. O cacique Raoni Metuktire confirmou presença no evento virtual. Proposto por Jaques Wagner (PT-BA), que preside a Comissão de Meio Ambiente, o encontro é parte da programação do mês dos indígenas” – PainelFolha de S. Paulo, 29-04-2021.

 

Fracasso de Guedes. Sem rumo, sem projetos e sem peso político

“O fracasso do Ministério da Economia, sem rumo, sem projetos e sem peso político, foi comprovado, mais uma vez, pela rendição do ministro Paulo Guedes a pressões do Congresso, de outras áreas do Executivo e também do presidente da República. Ao substituir alguns de seus principais auxiliares, como o secretário especial da Fazenda, o ministro cuidou apenas de uma reles acomodação política. Ele nem tentou disfarçar. “O que está acontecendo”, explicou, “é remanejamento da equipe justamente para facilitar negociações com o Congresso.” Negociações para quê? Para garantir a execução de uma ambiciosa política econômica? Até poderia ser, mas nada parecido com essa política foi apresentado em quase dois anos e meio de escassa atividade governamental” – editorial “Economia da Obediência” – O Estado de S. Paulo, 29-04-2021.

 

Apagão estatístico

“Cancelar o Censo geraria um apagão estatístico. É uma vitória do estado democrático de direito” – Flávio Dino, governador do Maranhão – PcdoB – sobre decisão do Supremo de manter a realização do Censo neste ano – Estado de S. Paulo, 29-04-2021.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Escândalo de milhares de mortes não pode passar em branco – Frases do dia - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV