Mudanças climáticas reduziram a produtividade agrícola global em 21% desde 1960

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • A arte da leitura. Artigo de Enzo Bianchi

    LER MAIS
  • Maria Madalena era realmente de Magdala? Duas pesquisadoras investigam isso

    LER MAIS
  • Os verbos transitivos. Artigo de Gianfranco Ravasi

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


07 Abril 2021

 

Apesar dos avanços agrícolas importantes para alimentar o mundo nos últimos 60 anos, um estudo liderado por Cornell mostra que a produtividade agrícola global é 21% menor do que poderia ter sido sem as mudanças climáticas. Isso é o equivalente a perder cerca de sete anos de aumento de produtividade agrícola desde 1960.

A reportagem é publicada por Cornell University e reproduzida por EcoDebate, 05-04-2021.  A tradução e edição são de Henrique Cortez

Os futuros impactos potenciais das mudanças climáticas na produção agrícola global foram quantificados em muitos relatórios científicos, mas a influência histórica das mudanças climáticas antropogênicas no setor agrícola ainda não tinha sido modelada.

Agora, um novo estudo fornece esses insights: “Anthropogenic climate change has slowed global agricultural productivity growth”, publicado na Nature Climate Change, foi liderado pelo economista Ariel Ortiz-Bobea, professor associado da Escola de Economia e Gestão Aplicada, Charles H. Dyson em Cornell.

“Descobrimos que a mudança climática basicamente eliminou cerca de sete anos de melhorias na produtividade agrícola nos últimos 60 anos”, disse Ortiz-Bobea. “É equivalente a apertar o botão de pausa no crescimento da produtividade em 2013 e não ter nenhuma melhora desde então. A mudança climática antropogênica já está nos retardando.”

Os cientistas e economistas desenvolveram um modelo econométrico abrangente que liga as mudanças anuais no clima e nas medidas de produtividade com a produção dos modelos climáticos mais recentes ao longo de seis décadas para quantificar o efeito da recente mudança climática causada pelo homem no que os economistas chamam de “total produtividade dos fatores “, uma medida que captura a produtividade geral do setor agrícola.

Ortiz-Bobea disse ter considerado mais de 200 variações sistemáticas do modelo econométrico e os resultados permaneceram bastante consistentes. “Quando olhamos para diferentes partes do mundo, descobrimos que os impactos históricos das mudanças climáticas foram maiores em áreas já mais quentes, incluindo partes da África, América Latina e Ásia”, disse ele.

Os humanos já alteraram o sistema climático, disse Ortiz-Bobea, conforme a ciência do clima indica que o globo está cerca de 1 grau Celsius mais quente do que sem os gases de efeito estufa atmosféricos.

“A maioria das pessoas vê a mudança climática como um problema distante”, disse Ortiz-Bobea. “Mas isso é algo que já está surtindo efeito. Temos que lidar com a mudança climática agora para evitar mais danos para as gerações futuras”.

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Mudanças climáticas reduziram a produtividade agrícola global em 21% desde 1960 - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV