A pandemia evidencia o ‘vírus da indiferença’ que assola a humanidade, afirma o papa Francisco em mensagem à Fiocruz

Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Mais Lidos

  • A síndrome do pensamento acelerado

    LER MAIS
  • “Diáconas para uma Igreja sinodal.” Síntese para o Sínodo sobre a Sinodalidade

    LER MAIS
  • Papa Francisco não é contra ‘novos movimentos eclesiais’, ele apenas favorece alguns em detrimento de outros

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


05 Novembro 2020

"Na certeza de que viajamos “no mesmo barco, onde o mal de um prejudica a todos” (n. 32), cada qual, segundo as suas possibilidades concretas, deve, não tanto almejar uma volta à “normalidade”, que no final das contas encontrava-se já enferma, como sobretudo colaborar, seguindo o exemplo do Bom Samaritano, na construção de uma sociedade marcada pela inclusão, levantando e reabilitando aqueles que se encontram caídos nas margens da estrada da vida (cf. n. 67), na convicção de que “fomos criados para a plenitude, que só se alcança no amor” (n. 68)", afirma o Papa Francisco em mensagem enviada à Fundação Osvaldo Cruz, por ocasião do Seminário  Fratelli tutti: A mensagem social global do Papa Francisco.

Segundo Francisco, "o esforço da Friocruz, bem como de tantos outros centros de pesquisa no Brasil e de cada mulher e homem, investigador, médico ou enfermeiro, além de ser uma manifestação de zelo profissional, pode – e deve – ser vivido como uma expressão concreta de amor para com o próximo".

Eis a íntegra da mensagem.

Ilustríssima Doutora
Nísia Trindade Lima
Presidente da Fundação Osvaldo Cruz

Acolhi com grande satisfação o convite feito para que enviasse uma mensagem por ocasião do Seminário Fratelli tutti: A mensagem social global do Papa Francisco, promovido pela fundação Osvaldo Cruz, e de bom grado dirijo a todos os profissionais da saúde do Brasil a minha saudação e o meu agradecimento por tudo o que tem feito pela população deste país, que me é tão caro.

Quero também manifestar o meu reconhecimento pelo trabalho de excelência científica na área da saúde pública realizado nesta centenária instituição que, a exemplo de seu renomado fundador, o sanitarista Osvaldo Cruz, promove a saúde e a qualidade de vida dos brasileiros. Neste momento em que o Brasil, juntamente com o resto do mundo, enfrenta a pandemia da Covid-19, se faz ainda mais significativa a missão desta instituição e de cada profissional da saúde.

Esta pandemia, que não exclui ninguém no seu rosto de sofrimento, evidencia ainda mais os efeitos nocivos de um outro vírus que há muito tempo assola a humanidade, o vírus da indiferença, que nasce do egoísmo e gera injustiça social. Diante desta realidade, quis, na recente Carta Encíclica Fratelli tutti – sobre a fraternidade e a amizade social –, propor a imagem do Bom Samaritano, cuja parábola, independentemente de convicções religiosas, nos interpela sobre o verdadeiro sentido do amor ao próximo (cf. n. 56) e nos convida “a fazer ressurgir a nossa vocação de cidadãos do próprio do país e do mundo inteiro, construtores de um novo vínculo social” (n. 66).

Na certeza de que viajamos “no mesmo barco, onde o mal de um prejudica a todos” (n. 32), cada qual, segundo as suas possibilidades concretas, deve, não tanto almejar uma volta à “normalidade”, que no final das contas encontrava-se já enferma, como sobretudo colaborar, seguindo o exemplo do Bom Samaritano, na construção de uma sociedade marcada pela inclusão, levantando e reabilitando aqueles que se encontram caídos nas margens da estrada da vida (cf. n. 67), na convicção de que “fomos criados para a plenitude, que só se alcança no amor” (n. 68). Neste sentido, penso que o esforço da Friocruz, bem como de tantos outros centros de pesquisa no Brasil e de cada mulher e homem, investigador, médico ou enfermeiro, além de ser uma manifestação de zelo profissional, pode – e deve – ser vivido como uma expressão concreta de amor para com o próximo.

E fazendo votos de que este Seminário possa reafirmar o compromisso de cada um no combate à pandemia e inspirar atitudes concretas que ajudem a promover de modo sempre mais eficaz e isento de ideologias o bem comum, envio a Benção Apostólica, extensiva a seus familiares, pedindo também que, por favor não deixem de rezar por mim.

Roma, São João da Latrão, 30 de outubro de 2020.

Francisco

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

A pandemia evidencia o ‘vírus da indiferença’ que assola a humanidade, afirma o papa Francisco em mensagem à Fiocruz - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV