Bolsonaro capitaliza com as propostas da oposição

Revista ihu on-line

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mais Lidos

  • Por um humanismo bioecocêntrico e libertador. Artigo de Santiago Villamayor, José Arregi et alii

    LER MAIS
  • O Papa Francisco precisa operar a perna direita, mas responde: não quero. Ele teme os efeitos da anestesia, que no caso da colectomia foi uma experiência ruim

    LER MAIS
  • É preciso mudar o olhar sobre a globalização. Duas economistas em Davos confirmam que os ventos mudaram

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


24 Agosto 2020

"Há que desmascarar o populismo bolsonarista, que capitaliza as medidas populares que vêm da esquerda, como as emergenciais, e que esta não tem sabido comunicar adequadamente", escreve Luiz Alberto Gomez de Souza, sociólogo.

Eis o artigo.

O governador Flavio Dino apontou uma falha na comunicação da esquerda no tema do auxílio emergencial, que foi uma conquista de partidos progressistas no Congresso Nacional e que acabou caindo na conta de Bolsonaro, nos olhares confundidos do povo, o que fez a popularidade do governo federal subir.

“Nós precisamos ter bandeiras claras, como com os R$ 600, de que o Bolsonaro abocanhou os resultados para ele. Acho que nessa temática do auxílio emergencial faltou isso: nós vencemos a luta parlamentar, mas não houve um trabalho de comunicação dessas bandeiras e dessas lutas, na conexão da luta social com a luta institucional, até porque, equivocadamente, houve uma minimização da vitória. Os nossos companheiros e companheiras lutam, obtêm vitórias e quem não está lá [no Congresso Nacional] não se dá conta, e depois você descobre que foi uma grande vitória, só que você não capitalizou para o seu campo adequadamente”.

Para isso a esquerda tem de estar unida e mostrar que o auxílio emergencial é uma conquista dela. Tem de recuperar um diálogo com as bases populares, que perdeu lá atrás, já no governo Dilma.

Bolsonaro avançou no nordeste com um populismo agressivo. Como recuperar terreno? Só uma grande união progressista que desoculte a política privatista antipopular e proponha medidas concretas para a melhoria dos vários segmentos da sociedade, começando pelos empobrecidos, atingidos com a política de arrocho, desemprego e corte nos salários.

Há que desmascarar o populismo bolsonarista, que capitaliza as medidas populares que vêm da esquerda, como as emergenciais, e que esta não tem sabido comunicar adequadamente.

A política de Dino, no Maranhão, é um bom exemplo de como abrir as portas aos anseios populares. Só um governo popular como o do Maranhão sabe enfrentar adequadamente um populismo de direita enganador. Possivelmente dali poderá vir uma alternativa progressista em 2022.

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Bolsonaro capitaliza com as propostas da oposição - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV