Homens sul-africanos são chamados à responsabilidade

Revista ihu on-line

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mais Lidos

  • “Da crise não se sai sozinho. Se sai arriscando e dando a mão ao outro”. Entrevista com o Papa Francisco

    LER MAIS
  • "A sinodalidade é um processo dinâmico que nunca termina". Entrevista com Dom Luis Marín de San Martín

    LER MAIS
  • "Derrotar Bolsonaro nas urnas não acabará com bolsonarismo", afirma Marcos Nobre

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


08 Julho 2020

Na África do Sul, mais de 60% das crianças não contam com pai presente em suas vidas. Duas em cada cinco mulheres são espancadas por seus parceiros e uma em cada 15 é morta. Os dados, alarmantes, motivaram a Sonke Gender Justice, com apoio do Conselho de Igrejas do país, a encetar a campanha “Homens de fé contra a violência baseada no gênero”.

A reportagem é de Edelberto Behs, jornalista.

A campanha, iniciada no dia 21 de junho, quando sul-african@s comemoraram o Dia dos Pais, incentiva os homens a examinarem seus papéis como pais, irmãos, maridos e parceiros. Ela inclui um conjunto de “Dez coisas que um homem de fé pode fazer agora para acabar com a violência baseada em gênero”.

“As comunidades religiosas são chamadas a fornecer apoio psicossocial aos sobreviventes da violência de gênero e a criar espaços seguros em locais de culto, para garantir que as sobreviventes se sintam em casa”, explicou a co-fundadora da Sonke Gender Justice, Bafana Khumalo, ao serviço de imprensa do Conselho Mundial de Igrejas.

A ONG também estende o seu apelo ao setor religioso, para que se concentre nos desafios internos relacionados ao assédio sexual e enfraquecimento das mulheres. Khumalo revelou que a ONG recebe relatos de casos de violência contra mulheres cometidos por líderes religiosos masculinos. “Somos de opinião de que o setor religioso também precisa desenvolver mecanismos de responsabilidade que garantam que, onde houver casos de violações, eles devem ser tratados”, disse.

A campanha inclui o treinamento de líderes em igualdade de gênero e na formulação de sermões que se concentra na resposta à violência doméstica.

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Homens sul-africanos são chamados à responsabilidade - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV