Em Manaus, mais dois indígenas morrem após contrair coronavírus

Mais Lidos

  • “A humanidade abriu as portas do inferno”, alerta António Guterres, secretário-geral da ONU

    LER MAIS
  • Brasil precisa de sistema de alerta antecipado contra desastres ambientais. Entrevista com Francisco Eliseu Aquino

    LER MAIS
  • “Precisamos de uma ministra negra para o STF começar a dar respostas ao racismo estrutural no país”. Entrevista com Ingrid Farias

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

13 Abril 2020

O Ministério da Saúde confirmou neste sábado mais duas mortes de indígenas por coronavírus. Depois de uma senhora Borari em Alter do Chão, um adolescente Yanomami em Roraima, agora um homem do povo Tikuna, de 78 anos, e de uma mulher do povo Kokama, de 44 anos.

A reportagem é publicada por Ninja, 12-04-2020.

Ambos estavam na região do Alto Rio Solimões, onde há um foco de contágio. A Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) e o Distrito Sanitário Especial Indígena Alto Rio Solimões já confirmam seis casos nesta região do Amazonas.

O Distrito Indígena do Alto Solimões contabiliza seis casos da doença entre indígenas, sendo até agora o maior foco do país entre os nativos. A primeira confirmação de um indígena contaminado por coronavírus no Brasil foi da agente de saúde Suzane da Silva Pereira, de 20 anos. Ao que tudo indica ela pegou a doença do médico Matheus Feitosa, com quem trabalha atendendo as aldeias da região. Ele foi o primeiro caso do município de Santo Antônio do Içá, no sudoeste do Amazonas, onde a Kokama mora. Ela, por sua vez, contagiou mais três familiares com quem manteve contato: a mãe, de 39 anos; a filha Yara, de 1 ano e 10 meses; e o primo de quarto grau, de 37 anos, todos da etnia Kokama. Os exames do pai e do marido de Suzane deram negativo.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Em Manaus, mais dois indígenas morrem após contrair coronavírus - Instituto Humanitas Unisinos - IHU