Cientistas desenvolvem piso solar para geração elétrica em calçadas e ciclovias

Mais Lidos

  • Católicos cínicos e a negatividade em relação ao Papa Francisco. Artigo de Massimo Faggioli

    LER MAIS
  • Influenciadores ou evangelizadores digitais católicos? Artigo de Dom Joaquim Mol

    LER MAIS
  • Campanha da Fraternidade 2024: Fraternidade e Amizade Social. Artigo de José Geraldo de Sousa Junior e Ana Paula Daltoé Inglêz Barbalho

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

07 Janeiro 2020

Tecnologia abre novo caminho para a utilização diversificada da energia solar como fonte de geração elétrica limpa e sustentável.

A reportagem é publicada por EcoDebate, 06-01-2020.

A construção de calçadas e ciclovias que geram energia elétrica através da luz do sol ganhou nova tendência após o anúncio de um piso solar desenvolvido por cientistas chineses

Publicada em um jornal científico, a pesquisa é um trabalho em conjunto entre pesquisadores da Universidade Jiao Tong de Xangai, na China, e da Universidade Politécnica de Hong Kong.

Com 50 cm² de tamanho e 2 cm de espessura, cada piso solar é composto por nove células fotovoltaicas com 15% de eficiência cada, gerando uma potência estimada de 30 a 40 Watts (W).

Como comparação, uma placa de energia solar fotovoltaica para casas e empresas possui entre 60 a 72 células e potência de até 340 W.

Dois protótipos do piso foram desenvolvidos utilizando diferentes superfícies antideslizantes aplicadas sobre o vidro temperado que protege as delicadas células solares.

De acordo com os cientistas, embora o protótipo com a superfície antiderrapante mais eficaz tenha apresentado os menores níveis de transmissão de luz, essa taxa não foi menor que 90%.

O piso solar ainda apresentou resistência a temperaturas de até 288°C, algo benéfico para a tecnologia fotovoltaica que registra queda de eficiência quando muito aquecida.

No quesito resistência mecânica, fundamental para o objetivo desejado, a tecnologia apresentou ótimos resultados, sendo tão resistente quanto o concreto.

Segundo os pesquisadores, o piso solar é capaz de resistir até mesmo ao peso de veículos, mas a aplicação em calçadas e ciclovias é mais recomendada por garantir maior durabilidade a tecnologia.

Mas o piso solar, embora apresente algumas inovações, como formato e maior eficiência, não é a primeira tecnologia fabricada para a construção desse tipo de projetos.

Ciclovias solares já existem e funcionam com sucesso em outras cidades do mundo, como em Amsterdã, que instalou o primeiro projeto do tipo no mundo, em 2015.

Ao redor do mundo, inúmeros projetos e estudos visam o aproveitamento da energia solar fotovoltaica através de tecnologias diferenciadas como a do piso solar.

Uma delas são as telhas solares da Tesla, que podem gerar energia ao mesmo tempo em que mantém a aparência de telhas normais e que tiveram a sua mais nova versão apresentada em setembro deste ano.

O piso solar ainda está longe de chegar ao mercado, mas é outra prova de que o futuro da geração de energia mundial será cada vez mais solar.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Cientistas desenvolvem piso solar para geração elétrica em calçadas e ciclovias - Instituto Humanitas Unisinos - IHU