Romaria celebra 34 anos do martírio do Padre Ezequiel Ramin

Mais Lidos

  • Especialização em Protagonismo Feminino na Igreja: experiência de sororidade e crescimento humano integral

    LER MAIS
  • Católicos versus Evangélicos no Brasil: “guerra de posição” x “guerra de movimento”. Artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    LER MAIS
  • No meio do caminho estava o CIMI: 50 anos do documento-denúncia “Y-Juca-Pirama” e a atuação do Pe. Antônio Iasi Jr, SJ

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

23 Julho 2019

Pela quarta vez, desde 2015, uma romaria marcou o aniversário de morte do padre Ezequiel Ramin.

A reportagem é publicada por Rede Eclesial Pan Amazônica - Repam, 22-07-2019.


Foto: REPAM

Missionário Comboniano de 32 anos de idade, o religioso foi morto por pistoleiros a mando de fazendeiros no dia 24 de julho de 1985. Foi realizada uma celebração eucarística, com muita participação popular, em Cacoal-RO, e uma Romaria com a presença de quase mil pessoas, acompanhada por Dom Zenildo Pereira, bispo da Prelazia de Borba-AM, em Rondolândia-MT, onde Pe. Ezequiel foi morto. Nos dias que antecederam a celebração, as comunidades cristãs realizaram um tríduo com os temas ‘O chamado de Deus’, ‘O envio em missão’ e ‘Profetismo e martírio’.

Pe. Ezequiel Ramin foi assassinado quando voltava de uma missão de paz, na qual havia visitado posseiros e pedido que se retirassem, pois corriam perigo. O missionário é testemunha da Igreja que faz opção pelos mais pobres, se compromete com uma evangelização ligada à transformação da sociedade e é fiel até as últimas consequências, como o fez Jesus de Nazaré.

O povo de Deus, na Romaria do último final de semana, aclamou o Pe. Ezequiel como um dos padroeiros do Sínodo da Amazônia. Mais de 200 bispos, na última Assembleia da CNBB, enviaram uma carta ao Papa Francisco solicitando que, rapidamente,seja reconhecido o martírio do missionário.

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Romaria celebra 34 anos do martírio do Padre Ezequiel Ramin - Instituto Humanitas Unisinos - IHU