O tema do Met Gala deste ano é católico. O que poderia dar errado?

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • Mudanças climáticas: uma oportunidade para a teologia se libertar do passado. Artigo de Bruno Latour

    LER MAIS
  • É proibido esquecer Auschwitz e o maior roubo da história

    LER MAIS
  • O extermínio na hora do almoço. Artigo de Corrado Augias

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


08 Mai 2018

No dia 7 de maio, segunda-feira, acontece o tão aguardado Met Gala, cujo tema é Heavenly Bodies: Fashion and the Catholic Imagination (Corpos celestes: moda e a imaginação católica).

A reportagem é de Eloise Blondiau, publicada por America, 08 de novembro de 2017. A tradução é de Luísa Flores Somavilla.

Para que não sabe, o Met Gala é um dos maiores eventos de moda do ano (muitas vezes chamada, em tom de brincadeira, de "Baile de formatura da moda"). O evento exige que os convidados vistam trajes extremamente elaborados de acordo com o tema anual.

Junto com o baile de gala, o Metropolitan Museum of Art, em Nova York, abre uma exposição anual, apresentando peças de vestuário e objetos sobre o mesmo tema. Dentre os últimos temas estavam "China: Through the Looking-Glass” (2015); “Jacqueline Kennedy: The White House Years” (2001); e “Punk: Chaos to Couture” (2012). A coleção deste ano, "Heavenly Bodies", divide-se em duas partes. Uma seção é composta por itens que pertencem ao Vaticano, como pontificais. A segunda parte da coleção inclui 150 conjuntos, que mostram a influência de temas católicos na moda no trabalho de designers como Raf Simons, Dolce & Gabbana e o falecido Azzedine Alaïa.

As escolhas de vestuário anteriores no Met Gala foram recebidas com festa e debate (ver: o vestido amarelo de Rihanna assinado pela designer chinesa Guo Pei em 2015), além de alegações de irrelevância, insensibilidade e apropriação cultural (ver: o acessório de cabeça vermelho vagamente “oriental” de Sarah Jessica Parker, também em 2015).

Por isso, o recente anúncio de que as celebridades vão se inspirar na cultura católica foi recebido com ansiedade e excitação. "Mal posso esperar pelas roupas excelentes, terríveis e heréticas", alguém tuitou em resposta.

O Vaticano foi consultado pelos organizadores do Met Gala e o cardeal Gianfranco Ravasi juntou-se ao curador Andrew Bolton e a editoar-chefe da Vogue, Anna Wintour, em uma prévia da exposição em Roma, em fevereiro. A série da HBOThe Young Pope” foi amplamente citada como uma possível inspiração para o tema deste ano. A revista Elle publicou um artigo intitulado “The 2018 Met Gala is Catholic-Themed Because Everyone Loves The Young Pope" (O tema do Met Gala de 2018 é a Igreja Católica porque todo mundo adora The Young Pope).

Nesse artigo, o autor observou: "O catolicismo realmente está em voga no momento. Ou no milênio. O velho voltou a ser novo. Chega de barriga de tiozão e camisa do namorado, esse ano é todo mundo em nome do Pai". De qualquer forma, é mais provável que os participantes do baile se inspirem nas roupas extravagantes do Papa Bento XVI do que pelas roupas simples do Papa Francisco.

Para ler mais sobre como a imaginação católica inspirou artistas através dos séculos, leia o novo ensaio de David Tracy para a América, “Heavenly Bodies: From Michelangelo to Dolce & Gabbana” (Corpos celestes: de Michelangelo a Dolce & Gabbana).

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

O tema do Met Gala deste ano é católico. O que poderia dar errado? - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV