Suíça: Bispo de Saint Gallen diz que “o celibato pode ser abolido amanhã”

Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Mais Lidos

  • A ruptura interna no tecido católico brasileiro. Artigo de Faustino Teixeira

    LER MAIS
  • “Não é uma guerra entre a Rússia e a Ucrânia, é uma guerra pela reorganização da ordem mundial”. Entrevista com Maurizio Lazzarato

    LER MAIS
  • Vamos ao encontro de nossa própria destruição? Artigo de Leonardo Boff

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


24 Novembro 2022

  • O celibato era "um preceito eclesiástico" que surgiu quando as ordens religiosas nasceram há cerca de mil anos, razão pela qual "poderia ser abolido pela Igreja universal amanhã", segundo Markus Büchel;
  • O bispo está satisfeito com o fato de a questão das mulheres estar "finalmente sobre a mesa" na Igreja, visto que, algumas décadas atrás, as questões das mulheres ainda eram consideradas um incômodo na Igreja.

A reportagem foi publicada por Religión Digital, 23-11-2022.

O celibato foi "um preceito eclesiástico" que surgiu quando as ordens religiosas nasceram há cerca de mil anos, razão pela qual "poderia ser abolido pela Igreja universal amanhã ", segundo Markus Büchel, bispo de Saint Gallen, na Suíça.

“A vida celibatária é uma realidade em casa, onde as pessoas vivem em comunidade”, disse Büchel, em um evento que marcou o 175º aniversário da criação da diocese suíça, acrescentando que em outros países os padres formaram uma grande comunidade junto com o bispo, mas na Suíça, por outro lado, cada padre administra sua própria casa e mora sozinho. "Temos que encontrar uma maneira de lidar com isso", disse o pastor.

De acordo com o portal Kathokisch, Bispo Büchel está convencido de que a questão das mulheres "está finalmente sobre a mesa" da Igreja, dado que, há algumas décadas, as questões das mulheres ainda eram consideradas um incômodo na Igreja.

"O sacerdócio feminino é um processo muito difícil"

Agora, em vez disso, a questão ocupa um “lugar de destaque” no documento de trabalho do processo sinodal global que começará em Roma em outubro de 2023, onde, disse ele, “a Suíça está assumindo um papel pioneiro”. “Conseguimos o que é possível, o que também é teologicamente responsável: as mulheres também estão presentes na liturgia, receberam o status de ministras especiais”.

A dificuldade, reconhecida quem presidiu os bispos suíços entre 2013 e 2015, está no seu acesso ao sacerdócio. “Este é um processo muito longo e difícil em toda a Igreja”, embora ela tenha notado que “as mulheres são sacerdotisas, profetisas e rainhas pelo batismo”.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Suíça: Bispo de Saint Gallen diz que “o celibato pode ser abolido amanhã” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV