Celam define a Etapa Continental do Sínodo e a apresenta aos comunicadores

Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Mais Lidos

  • A ruptura interna no tecido católico brasileiro. Artigo de Faustino Teixeira

    LER MAIS
  • “Não é uma guerra entre a Rússia e a Ucrânia, é uma guerra pela reorganização da ordem mundial”. Entrevista com Maurizio Lazzarato

    LER MAIS
  • Vamos ao encontro de nossa própria destruição? Artigo de Leonardo Boff

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


24 Novembro 2022

A etapa continental do Sínodo sobre a Sinodalidade, que visa aprofundar o Documento para a Etapa Continental, fruto do processo de escuta, que reúne as contribuições de quase todas as conferências episcopais do mundo, está dando passos.

A reportagem é de Luis Miguel Modino.

No caso da América Latina e do Caribe, uma das sete regiões em que a Igreja universal foi dividida para esta etapa do processo sinodal, o trabalho é coordenado pela Comissão criada pelo Conselho Episcopal da América Latina e do Caribe (Celam). Esta comissão reuniu os responsáveis pela comunicação nas Conferências Episcopais da América Latina e do Caribe e em outras redes e instituições do continente. A reunião contou com a presença de membros da comissão de comunicação do Sínodo sobre Sinodalidade e do Centro para a Comunicação do Celam.

O objetivo era criar um espaço de encontro e diálogo sobre a fase continental do Sínodo da Sinodalidade e suas implicações para aqueles que lideram os processos de comunicação na Igreja da América Latina e do Caribe. Os comunicadores foram questionados sobre o que haviam aprendido com sua experiência comunicativa durante o atual processo sinodal, pedindo-lhes propostas para o desenvolvimento de ações comunicativas em uma perspectiva sinodal durante a fase continental.

Foto: enviada por Luis Miguel Modino

O Secretário Geral do Celam destacou a importância deste momento, insistindo que "tudo o que a comunicação faz em nossas igrejas" é valorizado. Dom Jorge Lozano vê este tipo de encontro como "importante para levar adiante o desejo de Francisco de caminhar juntos". Não se pode ignorar que na América Latina e no Caribe, a Assembleia Eclesial, realizada um ano atrás, ajudou decisivamente no atual processo sinodal, pois foi um momento para discernir os desafios em que se avança após a publicação do texto, recentemente apresentado ao Papa Francisco. A partir daí, o bispo convidou os comunicadores "a continuarem caminhando juntos e a levarem a alegria do Evangelho a todos os cantos de nosso continente".

Neste processo de conversão sinodal na Igreja que o Sínodo atual representa, Thierry Boaventura chamou para ver a etapa continental como uma oportunidade para pensar como a comunicação pode ser mais sinodal. Para este fim, o responsável de comunicação da Secretaria do Sínodo fez algumas propostas como a criação de grupos de trabalho no campo da comunicação para esta etapa numa perspectiva tripla: trabalhar em conjunto, reunir recursos e incentivar a criatividade e a audácia.

Uma etapa continental que o Celam tem estruturado, segundo mostrou o Padre Pedro Brassesco, secretário da Comissão para a Etapa Continental do Sínodo. O processo durará até 31 de março e se baseia na metodologia da conversa espiritual. A novidade está no fato de que o trabalho volta às dioceses, sem que isto implique um retorno à fase diocesana, buscando compartilhar as intuições que ressoam das experiências, as tensões ou divergências que surgem, as questões a serem abordadas, as prioridades, os temas recorrentes e os chamados à ação. Tudo isso com o objetivo de discutir como cada Igreja está sendo sinodal a partir deste documento.

Padre Pedro Brassesco

Foto: enviada por Luis Miguel Modino

O secretário-geral adjunto do Celam enfatizou a importância de todas as dioceses realizarem este trabalho, o que fortalecerá a sinodalidade. Cada diocese fará uma síntese que será enviada às equipes das conferências episcopais, que prepararão o material que será levado às assembleias regionais por aqueles que representarão cada um dos países, que serão treinados com antecedência para conhecer a metodologia, tomando como exemplo o que foi vivido na Assembleia Eclesial.

Na América Latina e no Caribe serão realizados quatro encontros, de 13 de fevereiro a 10 de março em El Salvador, República Dominicana, Quito e Brasília. Serão reuniões exclusivamente presenciais com uma composição eclesial (55% leigos e 45% bispos, sacerdotes, diáconos e vida religiosa). Padre Brassesco afirmou que o Celam insiste na presença de vozes periféricas, que não têm estado muito presentes na fase de escuta. Estes encontros, que funcionarão com base no Documento para o Palco Continental, terão um momento episcopal final.

Após os quatro encontros, será elaborada uma síntese continental em uma reunião a ser realizada em Bogotá de 17 a 20 de março, com dois representantes de cada uma das quatro regiões, a equipe do Celam e outros que foram convidados. Esta síntese continental será relida colegialmente pelos bispos em um encontro final de 21 a 23 de março, a partir da experiência colegial vivida a partir de seu carisma e responsabilidade específicos. Este será o momento de validação e aprovação do documento, de uma forma que respeite o processo e seja fiel às diferentes vozes do Povo de Deus. O resultado será enviado para a Secretaria do Sínodo até 31 de março, encerrando a etapa continental.

Na medida em que "esta experiência sinodal está sendo progressivamente tecida, o caminho também está sendo construído à medida que avança, porque é uma experiência sem precedentes, especialmente nesta fase continental", disse Mauricio López. O diretor do Centro de Programas e Redes de Ação Pastoral do Celam indicou que na próxima segunda-feira e terça-feira, 28 e 29 de novembro, convocados pelo Papa Francisco e pela Secretaria do Sínodo, os presidentes e coordenadores das forças de trabalho das 7 estruturas continentais se reunirão para resolver dúvidas sobre esta fase continental: América Latina e Caribe, América do Norte, África, Europa, Oriente Médio com os 7 patriarcados orientais, Ásia e Oceania.

Eles serão recebidos pelo Santo Padre, um encontro muito importante segundo Mauricio López, "porque ajudará o Papa a enfatizar a importância desta fase, o valor do senso de discernimento e a abraçar a síntese universal". Será também uma oportunidade para "cada uma das sete regiões ou continentes apresentar-lhe seus progressos e propostas, e enriquecer-se mutuamente. Além disso, para esclarecer quaisquer dúvidas que ainda possam existir e para orientar no método de conversação espiritual", método sobre o qual será desenvolvido um workshop específico. Com os 7 documentos das regiões será elaborado o Instrumentum laboris para a Assembleia ordinária, que será apenas uma assembleia em duas fases, insistiu Maurício. Entre as duas assembleias, o Povo de Deus, de forma ainda não definida, participará do processo de discernimento.

Na área da comunicação, Ir. María Luisa Berzosa chamou para não perder de vista o intercâmbio entre continentes, porque "o que fazemos é por toda a Igreja". Para isso, é necessário manter a tensão, a atenção e o entusiasmo para continuar caminhando juntos durante a etapa continental. A religiosa, que faz parte do grupo que promove o processo sinodal, insistiu em comunicar de forma mais gráfica, a fim de comunicar a forma concreta de participação. Ela também destacou a importância da catequese que o Papa Francisco está dando toda quarta-feira sobre o discernimento.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Celam define a Etapa Continental do Sínodo e a apresenta aos comunicadores - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV