450 padres se manifestam contra reeleição de Bolsonaro

Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Mais Lidos

  • “Se vejo o Evangelho apenas de maneira sociológica, sim, sou comunista, e Jesus também”. Entrevista com o Papa Francisco

    LER MAIS
  • Eu, o tirano. Entrevista com Éric Sadin

    LER MAIS
  • Por defender indígenas, arcebispo de Porto Velho é alvo de intimidações até nas missas

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


06 Setembro 2022

 

Os padres católicos destacam que Bolsonaro fomenta ódio na população



“Um discípulo de Jesus consciente não pode reeleger um homem que com palavras e obras demonstra ser o oposto de tudo aquilo que Jesus é e anuncia”. Esta é a conclusão da carta subscrita pelo grupo Padres da Caminhada e Padres Contra o Fascismo constituído por 450 religiosos católicos (padres e bispos), de diversas dioceses brasileiras.



Eles alertam contra a reeleição do atual presidente da República, que começou a ser distribuída nesse fim de semana por sacerdotes de diversas Dioceses, Institutos de Vida Consagrada, ordens e congregações religiosas de todo o Brasil.



O grupo foi formado em 2018 quando, afirmam, começaram a ver a democracia ser ameaçada no país.



No documento, os religiosos elencam dez itens para registrar porque, se opõem “claramente” à reeleição do presidente Jair Bolsonaro no próximo mês de outubro.

 

A informação é de Marcelo Menna Barreto, publicada por Jornal Extra, 05-09-2022.

 

Nome de Deus em vão

 

O primeiro tópico denuncia o uso do nome de Deus como forma de manipulação do povo brasileiro. Para os sacerdotes, o discurso é “apenas de uma estratégia de controle das consciências” e que Bolsonaro age de forma totalmente oposta “ao Evangelho de Jesus”.

 

Discurso de ódio não é discurso cristão, dizem padres

 

Na sequência, os padres católicos destacam na carta que Bolsonaro fomenta ódio na população, tem um discurso violento, estimula o armamento e demonstra “desprezo pelos pobres, pelas mulheres, comunidades tradicionais indígenas e quilombolas, população de rua, comunidade LGBTQIA+, migrantes”, entre outros segmentos.

 

Fake News é outro nome da mentira

 

Também está presente na manifestação o uso de fake news, a falta de cuidado na gestão da pandemia, o retorno do país ao Mapa da Fome, o desmonte das políticas de defesa do meio ambiente e o que chama de claros “sinais de autoritarismo e fascismo”.

 

Padres apontam corrupção e hipocrisia

 

Os Padres da Caminhada e Padres contra o fascismo ainda lembram que Bolsonaro se elegeu com um discurso anticorrupção, mas apresenta sinais claros de que “vive soterrado e soterrando os escândalos de corrupção que o envolvem e envolvem sua família”.

 

A íntegra da carta pode ser lida aqui.

 

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

450 padres se manifestam contra reeleição de Bolsonaro - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV