As orientações politicamente corretas da Comissão UE: proibido “Senhoras e senhores” e “Natal”

Revista ihu on-line

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mais Lidos

  • Nacionalismos e patriotismos. Artigo de Flavio Lazzarin

    LER MAIS
  • “Fratelli Tutti” coisa nenhuma. “Memorando” exorta que antes do conclave os cardeais releiam “Dominus Iesus”

    LER MAIS
  • “Pontifexit”: o papado romano e o Ocidente. Artigo de Massimo Faggioli

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


30 Novembro 2021

 

As recomendações de Bruxelas apontam para uma comunicação que não faça referência a "gênero, etnia, raça, religião, deficiência e orientação sexual": melhor usar "colegas" que "ladies and gentlemen”, evitar "Miss e Mrs" e usar um mais genérico "festividade" em vez de mencionar a festa cristã.

 

A informação é publicada por La Repubblica, 29-11-2021. A tradução é de Luisa Rabolini.

 

"Toda pessoa na UE tem o direito a ser tratadas com igualdade", sem referência a "gênero, etnia, raça, religião, deficiência e orientação sexual". Assim - escreve Bruxelas nas suas novas orientações - devem desaparecer "Miss ou Mrs" (senhorita e senhora), substituídas por um mais genérico "Ms". E também as festividades não deverão mais ser referidas a conotações religiosas, como o Natal, mas citadas de forma genérica: se deverá dizer, por exemplo, "festividades são estressantes" e não mais "o Natal é estressante", consta no documento para uma "comunicação correta" fornecido pela Comissão chamada "Union of Equality".

 

As diretrizes contêm vários capítulos nos quais o tratamento igualitário da pessoa, segundo o executivo da UE, deve ser levado em consideração. No decálogo da comissão há algumas recomendações a serem utilizadas sempre: "Não usar nomes ou pronomes relacionados ao gênero do sujeito; manter um equilíbrio entre os gêneros na organização de cada painel; se for usado conteúdo audiovisual ou depoimentos, garantir que a diversidade seja representada em todos os seus aspectos; não se dirigir ao público com as palavras 'ladies' ou 'gentlemen', mas usar um genérico ‘dear collegues'; ao falar sobre transexuais, identificá-los de acordo com sua indicação; não usar a palavra 'elderly' (os idosos), mas 'older people' (a população mais adulta, ndr); falar de pessoas com deficiência com referência prioritária à pessoa (por exemplo, em vez de 'Mario Rossi é deficiente', utilizar 'Mario Rossi tem uma deficiência’)".

 

Nas orientações também há referências a uma comunicação "correta" a respeito das religiões. Por exemplo, no texto é recomendado, em qualquer conteúdo comunicativo, “não usar nomes próprios típicos de uma religião específica”. Em relação às festividades, a comissão pede para "evitar dar por certo que todos sejam cristãos". Com os devidos exemplos: em vez de dizer ou escrever “o Natal é estressante”, o executivo europeu convida a usar as palavras: 'as festividades são estressantes'”.

 

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

As orientações politicamente corretas da Comissão UE: proibido “Senhoras e senhores” e “Natal” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV