Tailândia. “Projetos comuns com os budistas em defesa do clima”, propõe o papa Francisco

Mais Lidos

  • Especialização em Protagonismo Feminino na Igreja: experiência de sororidade e crescimento humano integral

    LER MAIS
  • No meio do caminho estava o CIMI: 50 anos do documento-denúncia “Y-Juca-Pirama” e a atuação do Pe. Antônio Iasi Jr, SJ

    LER MAIS
  • Frente à carnificina, testemunhar. O quê? Uma resposta do cristianismo de libertação. Artigo de Jung Mo Sung

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

25 Novembro 2019

Embora no passado o Papa Francisco tenha evitado conceder audiência ao Dalai Lama por razões de realpolitik e não irritar a China, na Tailândia, ele visitou o chefe supremo dos budistas, reservando palavras de grande afeto e lançando um projeto comum para a defesa do clima.

A reportagem é de Franca Giansoldati, publicada por Il Messaggero, 22-11-2019. A tradução é de Luisa Rabolini.

Em Bangkok, ele falou de recíproca confiança e fraternidade e além das trocas acadêmicas e inter-religiosas que permitam maior entendimento mútuo, lançou a ideia de um projeto comum com os budistas para "promover o desenvolvimento entre os fiéis de nossas religiões projetos comuns de caridade, aptos a gerar e aumentar iniciativas concretas, especialmente para os mais pobres. O terreno sobre o qual realizar projetos conjuntos está ligado ao tema ambiental para defender nossa casa comum tão maltratada", afirmou.

O papa chegou ao Templo Wat Ratchabophit Sathit Maha Simaram, um templo histórico em Bangkok, para um encontro com Somdej Phra Maha Muneewong, também conhecido como Umporn Umpa-row. Ao chegar, o Pontífice foi recebido pelo secretário do Patriarca e juntos foram ao templo. Após o discurso de boas-vindas, ele assinou o Livro de Honra e posou para uma foto de grupo com 35 monges do mosteiro. Também dois anos atrás ele visitou um templo budista em Mianmar.

O budismo na Tailândia está presente quase que em sua totalidade através da escola Theravada. A história do budismo começa no século VI a.C. com o nascimento e a pregação do Buda Sidarta Gautama. A religião evoluiu adaptando-se aos vários países e agora é caracterizada por numerosas correntes de pensamento e cismas, com a formação de várias escolas; entre elas, as mais importantes atualmente existentes são a escola Theravāda, as escolas Mahāyāna e as escolas Vajrayāna.

O Budismo Mahayana, em sua forma tibetana, é também chamado de lamaísmo. Até 1950, o Tibete era seu guardião até a invasão chinesa, tanto na variante Mahayana quanto na Vajrayana. O Dalai Lama, considerado uma encarnação do Buda, é seu líder político e espiritual.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Tailândia. “Projetos comuns com os budistas em defesa do clima”, propõe o papa Francisco - Instituto Humanitas Unisinos - IHU