SBPC publica manifesto sobre ações para a recuperação da tragédia de Mariana

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • A crise energética, a escolha europeia, e a “reviravolta russa”. Artigo de José Luís Fiori

    LER MAIS
  • As feridas cada vez mais abertas. As acusações da Unicef e da Oxfam

    LER MAIS
  • A fantasia de Deus. Leonardo Boff e o Espírito Santo

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


07 Março 2016

O documento, encaminhado ao governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, e outras autoridades, expressa apoio às exigências das entidades acadêmicas, associações profissionais e movimentos sociais sobre as condições para o projeto de reconstrução da “nova Bento Rodrigues”.

A reportagem foi publicada por EcoDebate, 04-03-2016.

A SBPC encaminhou ontem, 2 de março, um manifesto ao governador do Estado de Minas Gerais, Fernando Pimentel, e outras autoridades, sobre as ações para a recuperação da tragédia de Mariana, região central de Minas Gerais, provocada pelo rompimento da barragem de Fundão, no dia 5 de novembro de 2015. No documento, a Sociedade expressa seu suporte às propostas de entidades acadêmicas, associações profissionais e movimentos sociais em apoio às vítimas da tragédia – pela qual a empresa Samarco é a principal responsável -, sobre as condições que deve atender o projeto de reconstrução de uma “nova Bento Rodrigues”.

“São enormes os prejuízos socioambientais dela decorrentes, pelo impacto na biodiversidade de toda a região e por afetar profundamente as condições de vida de mais de um milhão de pessoas na bacia do Rio Doce, em particular os moradores de Bento Rodrigues”, descreve o documento.

O manifesto destaca três pontos de ação: a participação dos moradores deve estar assegurada na definição da localização do novo assentamento e na elaboração dos projetos urbanísticos e arquitetônicos; atenção a todos os moradores de áreas atingidas ao longo dos cursos de água impactados; e as empresas responsáveis pela tragédia devem custear as obras e as ações socioambientais para a recuperação dos impactos, mas a gestão de todas as medidas deve ser feita pelo governo do Estado, envolvendo os governos federal e dos estados e municípios atingidos.

O manifesto pode ser acessado aqui.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

SBPC publica manifesto sobre ações para a recuperação da tragédia de Mariana - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV