“Renunciem ao açúcar da corrupção”, pede o Papa Francisco aos jovens quenianos

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • Mudanças climáticas: uma oportunidade para a teologia se libertar do passado. Artigo de Bruno Latour

    LER MAIS
  • O extermínio na hora do almoço. Artigo de Corrado Augias

    LER MAIS
  • Pedofilia, relatório sobre a diocese de Ratzinger: 497 vítimas. O Papa Emérito é acusado de negligência em 4 casos. Santa Sé: “Vergonha”

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Por: André | 30 Novembro 2015

Antes da cerimônia de despedida e após reunir-se com os pobres de Kangemi, o Papa deixou o estádio de Nairóbi para reunir-se com os jovens. E em um longo discurso improvisado, respondeu às suas perguntas. Convidou-os para não se deixarem arrastar pelo açúcar da corrupção nem pelo tribalismo, ao mesmo tempo que reivindicava às autoridades “educação e trabalho para que os jovens não se vejam suas opções reduzidas ao recrutamento.

A reportagem é de José Manuel Vidal e publicada por Religión Digital, 27-11-2015. A tradução é de André Langer.

O Papa chega ao estádio e a multidão explode em delírio; chega a fazer até a famosa “ola” em um estádio lotado.

O coro canta mais um hino. A primeira leitura da Carta de São Paulo a Timóteo é lida em braile por uma menina cega e a Ave-Maria é interpretada por orquestra e solista do assentamento de Korogocho.

Depois vem a saudação do bispo encarregado da Pastoral da Juventude, dom Muheria: “Obrigado por nos proporcionar este precioso momento”.

“Os jovens estão aqui para lhe dizer o quanto o admiram e o querem bem”.

“Abençoe as árvores que vão plantar e suas vidas”.

Testemunhos

Começam os testemunhos. O primeiro é o de uma jovem. “70% da população do Quênia é jovem. Somos uma grande maioria da população. Pedimos que reze por nós. Um dos nossos desafios é o tribalismo”.

“Somos discriminados no trabalho em função da tribo de cada um”.

“A corrupção é uma praga em nosso país”.

“Como podemos utilizar os meios de comunicação para divulgar a esperança de Cristo?”

O segundo testemunho, do jovem Emmanuel, apresenta ao Papa a problemática dos jovens que sofrem violência e são recrutados como jovens soldados e pede-lhe palavras para os jovens que não sentem “o carinho de suas famílias”.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

“Renunciem ao açúcar da corrupção”, pede o Papa Francisco aos jovens quenianos - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV