Vítimas de abusos sexuais exigem do Papa uma verdadeira tolerância zero

Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Mais Lidos

  • “A reação de pastores é uma rebelião política em nome da fé”. Entrevista especial com José de Souza Martins

    LER MAIS
  • O que precisamos aprender com André Janones

    LER MAIS
  • “A saúde do solo, das plantas e a nossa estão interligadas”. Entrevista com Vandana Shiva

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Por: Jonas | 23 Setembro 2015

Várias organizações de vítimas de abusos sexuais, por parte de sacerdotes, pediram ao papa Francisco uma verdadeira tolerância zero para estes crimes e medidas para proteger os menores.

A reportagem é publicada por La Tercera, 21-09-2015. A tradução é do Cepat.

Motivadas pela visita que o Pontífice realizará aos Estados Unidos e à sede das Nações Unidas, nesta semana, as vítimas pediram, com urgência, que acabe com a “impunidade” e empreenda ações para que os culpados sejam punidos.

“Enquanto dá grandes passos para melhorar as finanças, o governo e a moral da Igreja, o papa Francisco não deu passos para melhorar a segurança das crianças”, destacou em um comunicado a Rede de Sobreviventes abusados por Padres (SNAP, na sigla em inglês).

Segundo esta organização, no momento, o Pontífice se negou a se separar do passado e a mostrar liderança para dar resposta ao que considera a “maior crise” que a Igreja católica enfrenta.

Francisco fala, muitas vezes, da misericórdia e faz bem. Porém, centenas de milhares de meninas e meninos inocentes foram violadas por padres, freiras, bispos e seminaristas em razão da misericórdia excessiva demonstrada aos clérigos criminosos, por parte de seus colegas cúmplices”, destacou a SNAP.

BishopAccountability.org, uma organização estadunidense que documenta casos de abusos, denunciou que o Vaticano continua mantendo os responsáveis por estes crimes em seus postos e com “impunidade”.

“Apressamos o papa Francisco a celebrar sua primeira visita aos Estados Unidos anunciando o fim desta terrível situação. Como primeiro passo, deveria prometer aplicar uma verdadeira tolerância zero na Igreja”, destacou em uma coletiva de imprensa, na sede da ONU, sua codiretora Anne Barrett Doyle.

Para isso, Doyle considerou necessário modificar o direito canônico e assegurar que qualquer sacerdote responsável por abusos seja punido e não, como ocorre agora em alguns casos, sendo transferido para outra região ou país.

Como exemplo, destacou que em uma investigação realizada recentemente por sua organização na Argentina, foram encontrados vários padres acusados exercendo, inclusive um que nos últimos anos foi acusado por 15 vítimas.

“As palavras públicas do papa Francisco sobre a preocupação do Vaticano com as crianças e outros sobreviventes de assaltos sexuais por sacerdotes contradizem as ações do Vaticano sob sua liderança”, criticou em outra declaração o Centro para os Direitos Constitucionais, um grupo que representou as vítimas ante a Justiça internacional. Segundo cálculos da SNAP, obtidos extrapolando números da Santa Sé sobre o número de clérigos acusados nos Estados Unidos, em todo o mundo ao menos 69.000 sacerdotes católicos teriam abusado sexualmente de menores, desde 1950.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Vítimas de abusos sexuais exigem do Papa uma verdadeira tolerância zero - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV