Mulheres negras repudiam chacina de Osasco e Barueri

Mais Lidos

  • Genocídio Yanomami em debate no IHU. Quanta vontade política existe para pôr fim à agonia do povo Yanomami? Artigo de Gabriel Vilardi

    LER MAIS
  • A campanha da Fraternidade 2024. Fraternidade e Amizade Social. Artigo de Flávio Lazzarin

    LER MAIS
  • A primeira pergunta de Deus ao homem foi “Onde você está?”. O Artigo é de Enzo Bianchi

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

26 Agosto 2015

Nucleo Impulsor do Estado de São Paulo da Marcha de Mulheres Negras de 2015 publicou Nota de Repúdio contra a Chacina de Barueri e Osasco.

A nota foi reproduzida por Dennis de Oliveira no Portal Fórum, 24-08-2015.

Eis a nota.

É preciso dar um basta à matança de negros pobres em SP

Nós do Núcleo Impulsor da Marcha das Mulheres Negras no Estado de São Paulo nos irmanamos às famílias dos pelo menos 18 assassinados na chacina ocorrida em Barueri e Osasco, na Grande São Paulo. São famílias periféricas já tão marcadas pela violência, que agora são desmanteladas por execuções sumárias. São mães que perderam filhos, e filhxs que crescerão sem pais.

Segundo informações divulgadas pela mídia, a perícia confirmou que as armas usadas nos crimes são de uso restrito às forças armadas e polícia federal, o que torna ainda mais evidente a responsabilidade do Estado na morte de jovens pobres, em sua maioria negros.

A Ponte Jornalismo também divulgou matéria relatando como a tecnologia tem permitido confirmar ameaças a cidadãos das periferias paulistas como “retaliação” a mortes de policiais. E que só neste ano 72 pessoas foram assassinadas na região metropolitana de São Paulo em circunstâncias cujo modus operandi é típico dos grupos de extermínio. O recrudescimento conservador no país e no Estado de São Paulo traz além das intoleráveis manifestações pela volta da ditadura militar uma ação descontrolada de assassinatos de negros e pobres nas periferias. Enquanto a mídia ainda argumenta que alguns mortos “têm passagens pela polícia”, como se o fato de alguém já ter sido preso legalizasse as execuções sumárias.

Nosso repúdio às chacinas e ao vilipêndio dos mortos. Nossa solidariedade às famílias e nossa acusação de responsabilidade do Estado de São Paulo nessas mortes não serão calados. Exigimos justiça e criminalização a todos os culpados.

- Pela desmilitarização da política e das polícias.
- Pelo fim dos famigerados autos de resistência.
- Contra o genocídio do povo negro e pobre.
- Terrorista é o Estado!

Todas as organizações, coletivos e instituições são bem-vindos para somar conosco nessa luta.

Núcleo Impulsor do Estado de São Paulo da Marcha de Mulheres Negras de 2015

É só enviar um email autorizando a assinatura para: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Mulheres negras repudiam chacina de Osasco e Barueri - Instituto Humanitas Unisinos - IHU