Embaixador da França: o Papa não expressou rejeição da Santa Sé à candidatura de Laurent Stefanini

Mais Lidos

  • Católicos cínicos e a negatividade em relação ao Papa Francisco. Artigo de Massimo Faggioli

    LER MAIS
  • Influenciadores ou evangelizadores digitais católicos? Artigo de Dom Joaquim Mol

    LER MAIS
  • Campanha da Fraternidade 2024: Fraternidade e Amizade Social. Artigo de José Geraldo de Sousa Junior e Ana Paula Daltoé Inglêz Barbalho

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

28 Abril 2015

Contrariamente às notícias publicadas pela imprensa francesa, o candidato da França para o cargo de embaixador junto a Santa Sé, Laurent Stefanini, não teve nenhum tipo de rejeição por parte do Papa Francisco, é a informação obtida pelo I.Media através de fontes que analisam o dossiê. O Papa recebeu por 40 minutos, em uma conversa privada, o candidato da França para que o conhecesse melhor, sem porém dar resposta a pergunta de credenciamento apresentada em Paris.

O texto foi publicado pela agência francesa I.Media, 23-04-2015. A tradução é de Ivan Pedro Lazzarotto.

Foi na Casa Santa Marta, na noite de 17-04-2015 – e não no dia seguinte como escreveu o jornal francês Le Canard Enchaîné – que o Papa Francisco recebeu com discrição Laurent Stefanini para um diálogo privado. Enquanto o semanal satírico assegurava que tal encontro “de uns 15minutos” tinha ocorrido para confirmar a rejeição do Vaticano, I.Media soube de fontes seguras que, por não menos de quarenta minutos, o Papa e o seu convidado dialogaram em um clima particularmente cordial, na realidade afetuoso e caracterizado pela espiritualidade.

Durante este encontro, Papa Francisco dedicou seu tempo para conhecer melhor as intenções do diplomático, atual chefe do Protocolo do governo francês, católico e homossexual muito discreto sobre sua vida privada. Os dois homens teriam dedicado seu tempo, também, por iniciativa do Papa, a rezar juntos.

As contínuas alusões da imprensa francesa a informações reservadas fazem pensar que a nomeação de Laurent Stefanini não tenha, em Paris, um consenso unânime. Parece também que a escolha de Paris tenha sido mal recebida pela Santa Sé, dois anos após contestada a adoção do “Matrimônio para todos” na França. Mesmo se, em virtude do direito internacional e dos procedimentos em vigor, a Santa Sé pode rejeitar este pedido de credenciamento sem dar explicações, e sem ao menos comunicar a sua decisão à França, Paris continua a esperar por uma resposta.

Interrogado pelo jornal francês Libération, o historiador e especialista em papado Philippe Levillain assume que o encontro com o Papa Francisco e Laurent Stefanini é um “sinal de rara consideração”. Resta o fato que a campanha da imprensa em torno a este fato certamente provocou sério embaraço na Santa Sé, uma vez que estes procedimentos devem se desenvolver em total discrição.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Embaixador da França: o Papa não expressou rejeição da Santa Sé à candidatura de Laurent Stefanini - Instituto Humanitas Unisinos - IHU