Turquia convoca embaixador do Vaticano após declaração do Papa sobre ‘genocídio’

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • Mudanças climáticas: uma oportunidade para a teologia se libertar do passado. Artigo de Bruno Latour

    LER MAIS
  • O extermínio na hora do almoço. Artigo de Corrado Augias

    LER MAIS
  • Pedofilia, relatório sobre a diocese de Ratzinger: 497 vítimas. O Papa Emérito é acusado de negligência em 4 casos. Santa Sé: “Vergonha”

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


13 Abril 2015


O Papa Francisco recordou neste domingo o centenário do massacre dos armênios por forças turco otomanas durante a Primeira Guerra Mundial, classificando-o de o primeiro genocídio do século XX, e exortou a comunidade internacional a reconhecê-lo dessa forma, em uma declaração que enfureceu a Turquia. Logo depois, o governo turco convocou o embaixador do Vaticano a Ancara para pedir explicações sobre o comentário do Pontífice.

A informação é publicada pelo jornal O Globo, 13-04-2015.

Francisco, que tem laços estreitos com a comunidade armênia argentina, disse que era seu dever honrar a memória de homens, mulheres, crianças, padres e bispos vítimas do massacre “sem sentido” perpetrado pelos turcos otomanos.

Esconder ou negar o mal é permitir que uma ferida continue sangrando sem vedá-la, afirmou o Papa no início de uma missa na Basílica de São Pedro.

Em uma mensagem dirigida a todos os armênios, Francisco pediu a todos os chefes de Estado e organizações internacionais para reconhecer a verdade do que aconteceu e se opor a tais crimes.

Historiadores estimam que cerca de 1,5 milhão de armênios foram massacrados por turcos otomanos na Primeira Guerra Mundial e muitos consideram o primeiro genocídio do século XX.

A Turquia, por sua vez, se recusa a falar "genocídio", diz que os números são exagerados e que os mortos foram vítimas da guerra civil. Ancara fez campanhas para evitar que os países, incluindo a Santa Sé, classifiquem de genocídio.

A embaixada turca no Vaticano cancelou uma entrevista coletiva agendada para este domingo, presumivelmente ao saber que o Papa usaria a palavra “genocídio”.

As palavras de Francisco provocaram uma reação imediata na basílica, onde o chefe da Igreja Apostólica Armênia, Aram I, agradeceu à condenação expressa e recordou que “genocídio” é um crime contra a Humanidade que precisa de reparos.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Turquia convoca embaixador do Vaticano após declaração do Papa sobre ‘genocídio’ - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV