Dom Justin Welby admite que Igreja Anglicana não pode impedir ex-vigário pedófilo expulso de usar título de “Reverendo”

Mais Lidos

  • Genocídio Yanomami em debate no IHU. Quanta vontade política existe para pôr fim à agonia do povo Yanomami? Artigo de Gabriel Vilardi

    LER MAIS
  • A campanha da Fraternidade 2024. Fraternidade e Amizade Social. Artigo de Flávio Lazzarin

    LER MAIS
  • A primeira pergunta de Deus ao homem foi “Onde você está?”. O Artigo é de Enzo Bianchi

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

15 Janeiro 2015

O arcebispo de Canterbury admitiu que a Igreja Anglicana não tem poderes para impedir que membros expulsos do clero usem o título de “reverendo”, depois que um pedófilo condenado supostamente usou o título honorífico e se vestiu clericalmente

A reportagem é de Kashmira Gander, publicada pelo jornal The Independent, 12-01-2014. A tradução é de Isaque Gomes Correa.

Em 1999, Guy Bennett, ex-vigário da comunidade paroquial de St. Mary, em Oxted, admitiu ter assediado indecentemente três meninas de 11 anos entre 1976 e 1988, segundo a BBC News.

Ele ficou preso por nove meses e colocado no cadastro de pedófilos por 10 anos. Durante os processos, ele negou quatro acusações, que foram arquivadas.

Após uma suspensão emitida pela Igreja Anglicana, Bennett retirou-se o cargo aguardando o resultado do julgamento.

No entanto, em 2008 foi flagrado usando um colar clerical, informou a BBC News.

Lucy Duckworth, cujas acusações de abuso contra Bennett em 2008 não foram levadas adiante pelo serviço de investigações da coroa inglesa (Crown Prosecution Service –CPS), escreveu a Dom Justin Welby a respeito do comportamento do ex-vigário.

Em sua resposta, Justin Welby confirmou que Bennett havia sido banido de seu cargo na Igreja.

Ele foi citado pela BBC dizendo que, ainda que as autoridades da Igreja possam proibir alguém de trabalhar na condução de um culto, usar vestes de sacerdote ou “se passar como um qualquer outro padre, [as autoridades eclesiásticas] não podem evitar que eles usem o título de ‘Reverendo’ ou mesmo de usar o colar clerical”.

Ele ainda explicou que “qualquer um” pode usar a túnica sacerdotal, “desde que não estejam usando-a para propósitos ilegais”.

“Isto não viola nenhuma lei, diferentemente do que acontece se alguém se vestir como policial”, acrescentou.

Bennett nega ter assediado Lucy Duckworth, ou de usar o honorífico “reverendo”, mas contou à BBC News que outros usam. Acrescentou que ele não usava o colar clerical havia uma década.

Lucy Duckworth disse à rede de TV que a resposta do arcebispo de Canterbury a deixou “confusa, perplexa, irritada, frustrada e que ficou absolutamente chocada”.

“Se não têm o poder de destituir da instituição os abusadores de crianças, então eles têm realmente muitas questões a se fazerem”.

A polícia do condado de Surrey disse que a força recebeu uma queixa em outubro de 2008 sobre acusações de abusos sexuais e que, após realizar investigações, passou o caso para o serviço de investigações da coroa inglesa.

Este departamento disse que não havia provas o suficiente que fornecesse uma perspectiva realista de condenação neste caso.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Dom Justin Welby admite que Igreja Anglicana não pode impedir ex-vigário pedófilo expulso de usar título de “Reverendo” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU