Governo do Rio quer sanear 80% da Baía de Guanabara para as Olimpíadas

Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Mais Lidos

  • “A reação de pastores é uma rebelião política em nome da fé”. Entrevista especial com José de Souza Martins

    LER MAIS
  • O que precisamos aprender com André Janones

    LER MAIS
  • “A saúde do solo, das plantas e a nossa estão interligadas”. Entrevista com Vandana Shiva

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


12 Dezembro 2014

O governo do estado Rio de Janeiro realiza obras de reforço para reverter o descaso ambiental e avançar com o saneamento da Baía de Guanabara. A previsão de sanear 80% da Baía de Guanabara até 2016 faz parte dos compromissos do governo do estado com o Comitê Olímpico Internacional (COI).

A reportagem foi editada por Armando Cardoso, publicada originalmente por Agência Brasil e reproduzida por ONU Brasil, 10-12-2014.

O Plano Guanabara Limpa é constituído de 12 iniciativas, entre elas obras de saneamento na Marina da Glória, reconstrução das estações de Tratamento de Esgoto (ETEs) da Pavuna, no subúrbio do Rio, e de São Gonçalo, na região metropolitana, além da criação do Sistema de Coleta e Tratamento de Esgoto de Alcântara e Programa Sena Limpa, que visa a despoluir praias da cidade.

Um dos mais importantes, o Projeto Baía sem Lixo faz a coleta de lixo flutuante na Baía de Guanabara. São usados dez ecobarcos, que, juntos, coletam 45 mil toneladas de lixo por mês. Na Marina da Glória serão implantados mil metros de galerias subterrâneas, com capacidade para tratar 450 litros de esgoto por segundo. A obra utiliza técnicas de redução de consumo de energia elétrica.

De acordo com o governo estadual, as cidades de Nova Iguaçu, Duque de Caxias e São João de Meriti, na Baixada Fluminense, e São Gonçalo e Niterói, na região metropolitana, também foram beneficiadas, com a implantação de sistemas de tratamento de água e esgoto.

Para a Secretaria do Ambiente, as ações de reforço servem para cumprir as exigências do COI e definir intervenções de esgotamento sanitário de curto, médio e longo prazos. Elas levam em conta áreas carentes de saneamento básico e a previsão de crescimento urbano para as próximas décadas.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Governo do Rio quer sanear 80% da Baía de Guanabara para as Olimpíadas - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV