Francisco abre ao público os jardins de Castel Gandolfo

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Por: André | 06 Março 2014

Francisco autorizou a abertura ao público dos suntuosos jardins da residência de verão papal de CastelGandolfo, nos arredores de Roma, anunciou na segunda-feira a Rádio Vaticano.

 
Fonte: http://abcn.ws/1q6492p  

A reportagem está publicada no sítio espanhol Religión Digital, 04-03-2014. A tradução é de André Langer.

Com essa decisão, o Pontífice argentino deseja que o público possa ter acesso “à arte esplendorosa e à glória da natureza, que se casaram nesse lugar com um equilíbrio admirável”, explicou em um comunicado o diretor dos Museus do Vaticano, Antonio Paolucci.

“Era preciso que uma personalidade como Francisco realizasse esse sonho. É um presente maravilhoso”, acrescentou Paolucci. A partir de 1º de março foram programadas visitas guiadas de uma hora e meia de duração, ao preço de 450 euros para 15 pessoas.

A apenas 23 quilômetros do Vaticano, entre idílicos jardins e aos pés do refrescante Lago Albano, encontra-se a residência de férias dos papas, que foi construída sobre os restos da grande vila que o imperador Domiciano construiu para si no século I.

A propriedade inclui três imponentes vilas: Vila Cybo, Vila do Moro e Vila Barberini, 30 hectares de jardins escrupulosamente cuidados e 25 hectares destinados à atividade pecuária e agrícola onde são cultivadas verduras rigorosamente orgânicas.

Desde 1929, quando Pio XI e Benito Mussolini assinaram os chamados Pactos Lateranenses, em virtude dos quais a Igreja católica reconhecia a Itália como Estado soberano e esta fazia o mesmo com a Cidade do Vaticano, Castel Gandolfo foi declarado posse extraterritorial da Santa Sé.

Desde então, quase todos os Papas passaram longas temporadas de férias nessa residência, começando com Pio XII, que morreu em Castel Gandolfo em 1958.

O argentino Francisco não quis alojar-se nessa residência desde que foi eleito há um ano Pontífice, o que magoou os moradores da localidade, que vive do turismo.

O Papa prefere trabalhar no Vaticano e evitar isolar-se, por enquanto, nesse paraíso natural.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Francisco abre ao público os jardins de Castel Gandolfo - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV