O Papa “compartilha a dor” das Mães de Maio

Mais Lidos

  • Como o Papa Francisco está tentando “feminilizar” a Igreja

    LER MAIS
  • “Os maus-tratos aos animais é uma expressão do mal e da nossa incapacidade de aceitar os outros”. Entrevista com Corine Pelluchon

    LER MAIS
  • Israel-Palestina. Um soldado se sacrifica e um primeiro-ministro renuncia: o genocídio em Gaza provoca ações desesperadas

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Por: Jonas | 19 Abril 2013

O Papa Francisco respondeu a carta que a presidente das Mães da Praça de Maio, Hebe de Bonafini (foto), enviou-lhe no mês passado, e afirmou que “compartilha sua dor” e a daqueles que “sofreram e sofrem a perda trágica de seus entes queridos”, durante a ditadura.

A reportagem é publicada no sítio Religión Digital, 18-04-2013. A tradução é do Cepat.

 
Fonte: http://goo.gl/QlIXW  

“Com afeto lhes oferece uma Bênção especial, como sinal de esperança e alento. Ao mesmo tempo, pede o favor de que rezem e façam rezar por ele”, destaca a carta.

O Sumo Pontífice enviou a mensagem por intermédio de dom Antoine Camilleri, subsecretário vaticano para as Relações com os Estados, para responder uma carta que a dirigente social havia enviado a Francisco.

“Sua Santidade valoriza e aprecia muito aqueles que estão perto dos mais desfavorecidos e se esforçam para ajudá-los”, destaca a mensagem. No dia 21 de março passado, a presidente da Associação havia enviado uma carta para Jorge Bergoglio, na qual destacava suas “atividades pastorais” e desejava bons augúrios para seu pontificado.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

O Papa “compartilha a dor” das Mães de Maio - Instituto Humanitas Unisinos - IHU