Igreja acha 'moralmente inaceitável' mudar Constituição da Venezuela

Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Mais Lidos

  • Reformas essenciais necessárias em nossa Igreja hoje. Documento da Catholic Church Reform International

    LER MAIS
  • Os dois santos que me salvaram da escrupulosidade

    LER MAIS
  • A grande guerra contemporânea e a diplomacia vaticana. Entrevista com Pietro Parolin, secretário de Estado da Santa Sé

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Por: Cesar Sanson | 08 Janeiro 2013

A Conferência Episcopal Venezuelana (CEV) tachou nesta segunda-feira (7) de "moralmente inaceitável" alterar a Constituição para "atingir um objetivo político", referindo-se à polêmica em torno da posse do presidente Hugo Chávez prevista para quinta.

A reportagem é do portal G1, 07-01-2013.

"Está em jogo o bem comum do país e a defesa da ética. Alterar a Constituição para atingir um objetivo político é moralmente inaceitável", disse o bispo Diego Padrón (foto), presidente da CEV.

Em seu discurso inaugural da reunião anual da CEV, Padrón disse que prescindir da Constituição "é prescindir também da instituição, e se cai na disputa por fatias de poder, na violência e na anarquia e ingovernabilidade". No entanto, o presidente da CEV disse que "não é o propósito desta assembleia intervir publicamente na interpretação da Constituição".

O governo indicou que Chávez, hospitalizado em Cuba há mais de três semanas, tomará posse para seu terceiro mandato de seis anos quando estiver em condições, ante o Tribunal Supremo de Justiça (TSJ). A Carta Magna estabelece que o presidente deve tomar posse no dia 10 de janeiro na Assembleia Nacional e que diante de uma situação excepcional pode fazê-lo ante o TSJ, sem estabelecer uma data.

Em seu discurso, transmitido pela imprensa, Padrón ressaltou também que "a população está confusa e boa parte dela, insatisfeita", porque "até hoje não recebeu oficialmente nenhum boletim médico venezuelano" sobre o estado de saúde de Chávez. Segundo o último boletim divulgado na quinta-feira pelo governo, o presidente, de 58 anos, sofre de uma "insuficiência respiratória" depois de uma "severa infecção pulmonar", depois de ter sido submetido a uma quarta cirurgia contra um câncer no dia 11 de dezembro.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Igreja acha 'moralmente inaceitável' mudar Constituição da Venezuela - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV