Corrupção tira recursos dos mais necessitados, diz manifesto de igrejas históricas

Mais Lidos

  • Como o Papa Francisco está tentando “feminilizar” a Igreja

    LER MAIS
  • “Os maus-tratos aos animais é uma expressão do mal e da nossa incapacidade de aceitar os outros”. Entrevista com Corine Pelluchon

    LER MAIS
  • Israel-Palestina. Um soldado se sacrifica e um primeiro-ministro renuncia: o genocídio em Gaza provoca ações desesperadas

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

19 Dezembro 2012

Igrejas históricas denunciaram, em manifesto, a corrupção endêmica, a impunidade, a desigualdade e os políticos que tiram proveito dessa situação, apresentando-se como "salvadores da pátria".

Esse quadro tem "impacto direto sobre os mais empobrecidos, perpetuando uma situação de desigualdade e gerando um ambiente favorável à violência. É exatamente este segmento da população que mais necessita dos serviços públicos de saúde, educação, transporte, moradia, saneamento e outros benefícios de responsabilidade do Estado" e que são prejudicados quando desvios de recursos acontecem, aponta o manifesto.

A informação é da Agência Latino-Americana e Caribenha de Comunicação (ALC), 18-12-2012.

A cultura da impunidade, afirma o texto, garante que determinados criminosos jamais serão alcançados pelos rigores da lei, "gerando a descrença no sistema judicial que funciona apenas para os que não podem contratar advogados de renome".

Além dos políticos aproveitadores, o manifesto critica os líderes religiosos "ávidos por dinheiro" que oferecem prosperidade "sem trabalho" e sucesso com simples menção da fé.

Ao incentivar à busca de um Brasil melhor, o manifesto conclama cristãos e homens e mulheres de boa vontade a "assumirem uma postura firme e consciente, rejeitando e repudiando todos os processos de corrupção, desde aquelas simples 'gratificações' para se obter alguma vantagem ou se livrar de multas ou penalidades, até o silêncio conivente diante das grandes negociatas".

Assinam o manifesto as igrejas Evangélica de Confissão Luterana, Luterana do Brasil, Metodista, Metodista Wesleyana, Metodista Livre, Presbiteriana Unida, Presbiteriana Independente e Presbiteriana Renovada do Brasil.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Corrupção tira recursos dos mais necessitados, diz manifesto de igrejas históricas - Instituto Humanitas Unisinos - IHU