Partido Colorado escolhe candidato à presidência

Revista ihu on-line

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mais Lidos

  • Por um humanismo bioecocêntrico e libertador. Artigo de Santiago Villamayor, José Arregi et alii

    LER MAIS
  • O Papa Francisco precisa operar a perna direita, mas responde: não quero. Ele teme os efeitos da anestesia, que no caso da colectomia foi uma experiência ruim

    LER MAIS
  • É preciso mudar o olhar sobre a globalização. Duas economistas em Davos confirmam que os ventos mudaram

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Por: André | 11 Dezembro 2012

Horacio Cartes será o candidato a presidente de um partido que governou por 61 anos ininterruptos até a chegada ao poder de Fernando Lugo. Este último acusa o empresário por sua queda.

A reportagem está publicada no jornal argentino Página/12, 10-12-2012. A tradução é do Cepat.

O Partido Colorado, maior força eleitoral e principal da oposição paraguaia, escolheu no último domingo o seu candidato a presidente para tentar voltar novamente ao poder em abril de 2013, depois da derrota eleitoral sofrida em 2008 após 61 anos de governo. As duas principais pesquisas de boca de urna realizadas pela mídia de Assunção davam como vencedor o empresário Horacio Cartes, com 61,8% e 62,8% das intenções de voto, seguido do advogado Javier Zacarías Irún, com 34,5% e 33,4% dos votos. Esses resultados são similares aos divulgados em várias pesquisas prévias às primárias. O Tribunal Eleitoral Partidário da agrupação começava a dar os primeiros resultados oficiais no fechamento desta edição.

A Associação Nacional Republicana (ANR), nome oficial do Partido Colorado, buscará voltar ao podercom Cartes, que se filiou a esse partido em setembro de 2009 e um ano depois criou o movimento Honra Colorado. Em junho passado, quando o presidente Fernando Lugo foi destituído mediante um julgamento político, acusou Cartes por essa atitude. “Quem está por trás de tudo isto é o pré-candidato do Partido Colorado”, disse Lugo durante uma entrevista à cadeia TeleSur. O movimento Honra Colorado havia anunciado oportunamente que apoiaria um julgamento político contra o agora ex-chefe de Estado, sendo um dos primeiros setores a adotar uma postura clara a respeito. “Lugo tem um julgamento cidadão há muito tempo. Está sendo julgado por sua moral, pelas mentiras à Igreja, à população”, manifestou Cartes em uma entrevista a um jornal argentino.

Em sua campanha, Cartes assinalou que se faziam necessários governantes que pensassem no país, e que não vissem o Estado como uma possibilidade de enriquecimento pessoal. “O Estado não é um botim de guerra. Temos que perder o costume de levar para casa o que é alheio. Muitos lutam para alcançar o poder, mas uma vez no cargo se creem no direito de apropriar-se do dinheiro público”, foram as palavras do candidato, segundo o jornal La Nación do Paraguai. Segundo o jornal, em sua proposta de governo, Zacarías Irún indicou que o orçamento total do Estado paraguaio, que aumentou em cerca de cinco milhões de dólares, era suficiente para dar à população um Estado mais eficiente e dotar o país com a infra-estrutura e as condições para o desenvolvimento.

Os detratores da ANR qualificam o novo candidato a presidente como figura do narcoloradismo, acusação que tentou ser contestada com uma intensa campanha na mídia paraguaia. Cartes, de 56 anos, mostrou-se como um empresário de sucesso, proveniente de uma família de classe média, que conseguiu montar um empório de 26 empresas e dar trabalho a mais de 3.500 famílias do Paraguai.

O Tribunal Eleitoral estimou, no domingo, que cerca de 35% dos 1.986.096 filiados acorreram às urnas para votar nas primárias, entre eles, e pela primeira vez, 7.319 paraguaios que moram na Argentina e nos Estados Unidos. A Promotoria informou que recebeu 32 denúncias de supostas violações do código eleitoral, entre elas tentativas de fraude, brigas isoladas e tentativas de boca de urna.

Os colorados perderam uma hegemonia de 61 anos ininterruptos de governo nas eleições de 20 de abril de 2008. O ex-bispo Fernando Lugo impôs-se nessas eleições à frente da coalizão de amplo espectro ideológico apoiada pelo Partido Liberal Radical Autêntico (PLRA), segunda maior força eleitoral do país. Essa aliança rompeu-se quando os liberais votaram a favor de sua destituição.

A ANR disputará em 2013 com o candidato que for escolhido nas internas do PLRA, no próximo domingo, e com a União Nacional de Cidadãos Éticos (Unace), terceira maior força do país liderada pelo general retirado Lino Oviedo. Também entrarão na disputa nessas eleições a Frente Guasú, aliança liderada pela candidatura de Lugo ao Senado, o movimento Avança País, que terá como candidato o apresentador de televisão Mario Ferreiro, assim como o Kuña Pyrendá (Plataforma de Mulheres, em guarani), com a candidatura de Lilian Soto, ex-ministra de Lugo.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Partido Colorado escolhe candidato à presidência - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV